Lista de mangás com protagonistas femininas (parte 01)

Lista de mangás com protagonistas femininas (parte 01)

Para todas que estão cansadas de mangás com o típico protagonista masculino alegre, bobo e burro, trazemos uma singela lista elaborada com protagonistas femininas em mangás e animes que valem apena conhecer, ler e assistir.

Quando falamos do universo de mangás de aventura, eles normalmente são escritos no Japão para adolescente e adultos (homens) e por isso há muitos mangás do gênero com protagonista masculinos, onde a personagem mais presente é o par romântico ou a garota da equipe que em algum momento se envolve com alguns dos membros, salvo raros casos.

Depois de um tempo, esse enredo muito usado e já batido fica cansativo. E começamos a pensar: quantos mangás ou animes com protagonista femininas bons tem por aí? Assim, resolvemos listar alguns para vocês que também sentem falta de mulheres incríveis como protagonistas. A baixo segue  a primeira parte da nossa singela lista:

Claymore

 

O mangá escrito por Norihiro Yagi conta as aventuras de Clare e das Claymore, guerreiras modificadas para lutar com o mal que assola o mundo medieval em que vivem, também chamados de Youmas. O mangá já foi terminado no Japão e foi publicado aqui no Brasil pela editora Panini e ainda podendo ser adquirido.

Sem romantização, o mangá segue numa história árida sobre guerras, superação e quem são os verdadeiros monstros. Se você já leu “Shingeki no Kyojin”, com certeza vai gostar da história.

Claymore possui um anime de 2007, mas que em certo ponto muda a história do mangá, mas vale apena conferir.

Elfen Lied

 

Elfen Lied, criado pelo mangaká Lynn Okamoto, conta as desventuras de Lucy, uma diclonius – uma mutação que faz com que garotas tenham chifres e poderes especial chamado vectores. As diclonius são membros de uma organização que pesquisa essa mutação, e as usa como armas quando necessário. Num dia Lucy consegue fugir e acaba sendo encontrada por Kota, um garoto que na medida do possível tenta ajudar Lucy a aplacar seu instinto assassino.

O traço do mangá é bem duro e a arte um pouco suja, mas combina com o clima visceral e pesado ao longo da série. Além da luta pela sobrevivência do diferente, o mangá traz vários assuntos pesados que estão presentes na sociedade japonesa como estupro e pedofilia. Apesar do clima tenso da história, ela tem seus momentos divertidos e emocionantes. O mangá foi publicado pela editora Panini.

Koudelka

 

Baseado num jogo para PlayStation, ganhou uma versão mangá em 2000, escrita e ilustrada por Yuji Iwahara. A história se passa na Inglaterra em 1899 e é focada na personagem Koudelka, uma mulher que possui habilidades sensitivas e paranormais e é constantemente perseguida. O mangá possui uma abordagem sobre os temas sobrenatural, aventura e histórico. É uma história curta, infelizmente não foi publicada no Brasil.

Já falamos mais sobre o mangá aqui.

Alita /Battle Angel (Gunnm)

 

O mangá de Yukito Kishiro traz um universo cyberpunk apocalíptico. Gally (Alita, na versão em inglês) é uma ciborgue que é encontrada no meio de um lixão sem memória e com o corpo destruído. Ela é encontrada pelo Dr Ido, que consegue montar um corpo novo usando uma armadura de uma antiga invasão alienígena. Com o poderoso corpo, Gally caça bandidos e assassinos na cidade baixa, a história vai mostrando a evolução de Gally nesse mundo com leis desprezíveis. Com uma pegada “Mad Max”, a série tem seu lado visceral, mas tem a vontade de ser livre como pano de fundo. Foi publicado no Brasil pela JBC.

Já falamos mais sobre o mangá aqui.

Angelic Layers

 

Angelic Layers foi criado pela CLAMP, meio que na onda de “Pokémon” e “Digimon”. Mizuki. Após a mãe se mudar para Tóquio por causa do trabalho e ser criada pelos avós, quando cresce, a garota vai estudar em Tóquio e conhece um novo jogo chamado Angelic Layer, composto de combates entre bonecas reais controladas pelo cérebro humano. O Mangá tem o visual delicado, marca da CLAMP, e a história é focada em amizade e superação. Se você é fã do trabalho delas, não podem deixar de ler! Foi Publicado pela JBC.

Slayers

 

Slayers é uma grande franquia, com mangá, light novel, anime, OVAs e jogos. O mangá foi produzido por Hajime Kanzaka. Conta as aventuras de Lina Inverse, uma feiticeira que com a ajuda de seus amigos tenta derrotar perigosos vilões, mas por onde passa acaba causando destruição e confusão. É um mangá de comédia e aventura, com muitas batalhas e cenas engraçadas. Foi um dos mangás mais famosos da década de 1990. No Brasil o mangá foi publicado pela JBC.

Black Lagoon

 

O mangá de Rei Hiroe conta a história de um grupo de mercenários/contrabandistas/piratas  nos mares do sudeste asiático nos anos 1990. O grupo tem base numa cidade fictícia na Tailândia e lida com mafiosos e contrabandistas. A história no estilo filme de ação americano, mostra as missões e problemas da equipe. Foi publicado no Brasil pela Panini.

Chrno Crusade

 

O mangá produzido pelo mangaká Daisuke Moryama conta as desventuras de Rosette, uma noviça atrapalhada que vive se metendo em confusão, na busca de seu irmão Joshua, que fora sequestrado por causa de seus poderes de cura por um demônio. A história se passa em 1920, com muito Steam Punk e universo apocalíptico com anjos, demônios e apóstolos. Nessa busca, Rosette tem a ajuda de Chrno e Azmaria, entre outros amigos. Com muita aventura, momentos engraçados e emocionantes, é um mangá que te agarra do começo ao fim. Prepare o lenço; provavelmente você irá chorar no final. Possui anime e a trilha sonora é incrível, vale apena ouvir. Foi publicado pela Panini aqui no Brasil.

Blood +

 

O mangá é escrito por Asuka Katsura. A história é sobre Saya, uma colegial que vive com seu pai e irmão adotivos, mas não tem nenhuma lembrança de nada que se passou há mais de um ano. Ela acaba descobrindo que possui o sangue especial, o único capaz de derrotar os Chiropterans – parecem um tipo de vampiro. Em sua jornada, Saya descobre que tem uma irmã com a mesma habilidade que deseja acabar com a humanidade. Com batalhas sangrentas, conflitos de ética e familiares, a história segue entre intrigas e banhos de sangue. Não é uma história feliz e fofa; é sombria, lembrando muito a atmosfera de “Drácula de Bram Stoker”. Mangá lançado no Brasil pela Panini, mas está praticamente esgotado.

Blood C

 

É uma produção de Nanase Ohkawa, do Studio CLAMP, que trabalha como roteirista da obra e ilustrado por Ranmaru Kotone.  É uma outra versão de Blood +, onde temos mais uma vez uma protagonista chamada Saya, que é uma colegial atrapalhada e gentil de manhã e à noite vira uma eficaz espadachim que caça monstros chamados de Furukimono. A história tem pitadas de comédia, mas mantém a atmosfera sombria e sangrenta de Blood +. Foi publicado no Brasil pela Panini. 

Fechamos essa primeira parte com a abertura do anime de Chrno Crusade:

Escrito por:

Formada em museologia, mestranda em Preservação do Patrimônio Cultural. Ilustradora e quadrinista amadora. Amante de animação, quadrinhos, artes e cultura geek. Fã do CLAMP, Arakawa Hiromu e Neil Gailman. Esse aristas influenciaram seu gosto por fantasia e por querer entrar no mundo de quadrinho. Apaixonada por dragões, se possível teria um de estimação. Sonha em conseguir publicar suas história e viver delas.
Todos os textos
Follow Me :