[MANGÁ] “Koudelka” e a representatividade feminina nos mangás

[MANGÁ] “Koudelka” e a representatividade feminina nos mangás

Conheça essa incrível história e a importância de suas personagens no mundo dos mangás para a representatividade feminina.

Como falar de “Koudelka” sem dar spoilers já que sou uma mega fã? Bem, vamos lá! 

Desenhada com a arte linda de Iwahara Yuji, a história se passa na Inglaterra em 1899, e é focada na personagem Koudelka (por isso o nome do mangá), uma mulher que possui habilidades sensitivas e paranormais e é constantemente perseguida. O mangá possui uma abordagem sobre os temas sobrenatural, aventura e histórico.

Tudo começa com Koudelka fugindo desesperadamente de um sanatório onde estava internada e também vemos a feroz perseguição de seus algozes atrás dela. É perceptível que eles não a reconhecem como um ser humano, mas como um monstro ou um objeto. É notável para os leitores que Koudelka é uma pessoa mentalmente sã e que a perseguição possui motivos bem obscuros (deixando bem clara a objetificação e o desrespeito pelas vontades da personagem e a luta da mesma contra isso). Durante a fuga a história dela se entrelaça com a da criança Joshua e ela perde a memória, apesar de Joshua não possuir habilidades como a de Koudelka, ele é alguém que colabora muito com ela (e traz um segredo muito legal que é conhecido mais adiante na história).

É praticamente impossível falar da história sem fazer revelações bombásticas, mas posso dizer que muitas das situações que Koudelka se envolve demonstram algumas dificuldades de seu gênero e que ela sempre se mostra forte e se posiciona a favor das mulheres, gerando uma representatividade feminina importante no mundo dos mangás. Inclusive, em determinado momento somos apresentados a personagens prostitutas que mostram a visão do enorme preconceito e descaso sofrido por serem mulheres e se prostituirem nessa época. Todas elas, apesar de serem personagens secundárias, são extremamente cativantes e com personalidades fortes (particularmente, sou fã delas).

Infelizmente não foi lançado no Brasil edições físicas de Koudelka (o mangá não parece ser conhecido por tanta gente; supostamente sairia pela Conrad em 2003) porém é fácil encontrar sites com capítulos disponibilizados para ler online. A história é bem curta, com apenas 15 capítulos, e não tem enrolação, a trama se desenvolve rápido e deixa aquela vontade no fim de “quero mais” por ser tão interessante.

Deixarei aqui as primeiras 6 páginas para vocês darem uma olhadinha e se instigarem a continuar a leitura.

3

4

5

6

7

Eu só conheci Koudelka por causa de um jogo que sou mega fã (um RPG do PS2) então fui procurar conhecer o início de onde surgiu as ideias (que acho bastante inovadoras)  e cheguei no jogo e mangá de Koudelka, e não me decepcionei!

Koudelka é uma ótima personagem para a representatividade das mulheres no meio nerd, possuindo uma história bem construída e com um desenrolar agradável em todos os aspectos. Ela é decidida, forte e determinada.  Acho muito válido que nós mulheres nerds conheçamos cada vez mais personagens como Koudelka, por isso fiz essa resenha e espero que gostem!

Escrito por:

Ilustradora, quadrinista, colorista, amante da arte tradicional. Fã de mangá e anime desde a infância, gamer e rpgista. Amante de livros e viciada em seriados. Seus gêneros favoritos de filmes inclui thriller psicológico e animação. Curte rock alternativo, rock clássico, indie rock, metal (folk, viking e heavy). Sente-se determinada como sua heroína Mulan, mas gosta de abraços quentinhos igual o Olaf.
Todos os textos
Follow Me :