6 motivos pelos quais “Buffy: A Caça-Vampiros” ainda é tão relevante

6 motivos pelos quais “Buffy: A Caça-Vampiros” ainda é tão relevante

Compartilhe

No último dia 10, Buffy: A Caça-Vampiros completou 20 anos de estreia, então resolvemos aproveitar para fazer uma lista com os motivos para se assistir um dos maiores clássicos da televisão dos anos 90, e uma das séries da época que mais discutiu empoderamento feminino. (Cuidado com os pequenos spoilers)

Buffy: A Caça-Vampiros

1 – A série foi feita como resposta a um estereótipo

Para quem não sabe, o criador da série, Joss Whedon, criou toda a ideia por trás da série como uma resposta ao estereótipo da personagem feminina, loira e, normalmente, pequena, que era morta primeiro em todos os filmes de terror. É por isso que sua protagonista reúne todos esse a atributos, sendo ainda líder de torcida (outro clichê do gênero). A série, em seu final, ainda deixa claro como toda garota tem o potencial para ser como Buffy.

Buffy: A Caça-Vampiros

2 –  A Protagonista

Além de ter sido feita como uma resposta aos estereótipos de filme de terror, Buffy Summers (interpretada por Sarah Michelle Gellar), a protagonista, é uma personagem bem construída, com motivações e personalidade bem definidas, indo muito além das suas habilidades físicas, sendo uma ótima estrategista. Ela também é muito bem inserida no seu mundo, tanto quando se trata de proteger sua cidade dos vilões atraídos pela Boca do Inferno (que fica literalmente embaixo de sua escola), quanto lidando com suas tarefas como aluna, filha, e amiga.

Buffy: A Caça-Vampiros

3- Qualidade de Direção, Produção e Roteiro

Tendo sido indicado a 129 prêmios (incluindo Globo de Ouro, Emmy, Saturn, GLAAD e Hugo), com 52 vitórias, a qualidade do programa não é exatamente uma surpresa. Mas, se você não conhece a série e não fazia ideia disso, pode ficar tranquila e começar a assistir Buffy – A Caça Vampiros sem se preocupar se suas temporadas de de 22 episódios (com exceção da primeira que tem somente 12) vão te cansar por excesso de fillers ou por enredos que não se sustentam.

No geral, a série é bem constante no quesito qualidade, tendo bons vilões  e bons arcos, ao mesmo tempo em que tenta experimentar um pouco (como, por exemplo, no 20° episódio da 4° temporada, intitulado Hush, que é quase que inteiramente mudo, e mesmo assim funciona bem dentro da própria narrativa).

4 – Respeito com as questões LGBT

Uma das personagens mais amadas de Buffy é sua melhor amiga Willow (Alyson Hannigan), uma nerd adorável, que primeiramente ajuda a Caça-Vampiros com sua inteligência e habilidade em informática. No decorrer da série, Willow vai se descobrindo e, ao longo do caminho, se transforma em uma das bruxas mais poderosas de todos os tempos, além de encontrar seu verdadeiro amor na figura de Tara (Amber Benson).

O respeito e o carinho com que o arco de Willow é feito na série mostra a qualidade da produção e dos roteiros de Buffy, tendo sido feito com muito cuidado para não transformar a relação das personagens em algo fetichizado. Lembrando que o show foi ao ar entre 1997 e 2003, quando a inserção de personagens LGBT não era uma pauta para se atrair público (sendo que muitas emissoras, inclusive, tinham algum tipo de censura em relação a beijos entre personagens gays).

Buffy: A Caça-Vampiros

5 – Discussões sobre relacionamentos abusivos

Para quem nunca assistiu: cuidado com o pequeno spoiler!  A 2ª Temporada de Buffy tem, em sua segunda metade, um dos vilões mais temidos para (infelizmente) uma grande quantidades de mulheres no mundo: o ex-namorado obsessivo.

Contando com episódios de pura tensão psicológica, a imprevisibilidade do ex-namorado de Buffy, que em todos os momentos a observa e ameaça as pessoas que a rodeiam, é muito mais assustadora do que qualquer ameaça de apocalipse, tendo seu ápice em Passion, 17° episódio da temporada, que conta com narração em off por parte do vilão (deixando tudo ainda mais assustador, acredite).

Além disso, a 2ª temporada tem ainda o 11° episódio, intitulado Ted, onde são discutidos abusos vindos de figuras paternas. Este é provavelmente um dos episódios em que Buffy se sente mais impotente, pois somente ela nota os primeiros sinais de que existe algo de errado com o novo namorado de sua mãe.

Buffy: A Caça-Vampiros

6 – Os Personagens

Além de todos os itens citados acima, Buffy ainda conta com uma miríade personagens bem desenvolvidos e escolhidos a dedo para cumprir suas funções na narrativa. Eles vão desde a protagonista forte e, ao mesmo tempo habilidosa e gentil, até os personagens que são trazidos para a trama como forma de alívio cômico. Sem dar muitos spoilers, aqui vão alguns personagens dignos de menção: Angel (David Boreanaz), interesse amoroso recorrente de Buffy ao longo das três primeiras temporadas, ele aparece somente algumas vezes nas últimas quatro por ter ganho sua própria série spin-off; Cordélia (Charisma Carpenter), inicialmente antagonista de Buffy na escola, Cordélia se transforma em aliada e membro da Scooby Gang até a formatura do grupo no final da terceira temporada; Anya (Emma Caulfield), ex-demônio da vingança que perde os poderes e acaba se juntando ao grupo, sendo também interesse amoroso de Xander; Spike (James Masters), vampiro que inicia seu arco como vilão, mas acaba ajudando o grupo mais de uma vez; Faith (Eliza Dushku) Caça-Vampiros, assim como Buffy. Faith tem uma relação de amor e ódio com a protagonista, e tem sua história desenvolvida no spin-off  Angel.

Buffy: A Caça-Vampiros

Essa variedade de personagens, combinada a uma boa narrativa, colabora não somente com a qualidade da série, dentro de um enredo maior, mas também faz com que cada personagem ganhe um episódio específico, fazendo até com que os fillers da série sejam muito bons. O verdadeiro destaque vai para a Scooby Gang, o grupo de amigos de Buffy, que a ajuda em suas atividades como Caça-Vampiros. Formado inicialmente pelo bibliotecário/sentinela Giles, responsável pelo treinamento de Buffy (interpretado por Anthony Head); Willow, já mencionada acima, e Xander (Nicholas Brendon), o amigo comum de Buffy que, sem poderes ou habilidades, colabora pouco (principalmente nas primeiras temporadas), mas sempre está ao lado de seus amigos. O grupo acaba recebendo alguns acréscimos ao longo das temporadas, mas acaba sempre por manter seu núcleo até o fim da série.Buffy: A Caça-Vampiros

Bônus: Once More, With Feeling

Uma coisa que não poderia faltar em uma lista sobre Buffy: a Caça-Vampiros é seu famoso episódio musical. Sétimo episódio da sexta temporada, Once More, With Feeling, escrito e dirigido por Whedon, foi feito tanto para os amantes de musicais, quanto para quem não suporta o gênero, já que as músicas, mesmo bem feitas e interpretadas, são todas paródias dos tipos de grandes números musicais. Além disso o episódio é muito importante para a trama principal da temporada, contando com uma série de revelações importantíssimas para a Scooby Gang. Tendo 9,8 no Imdb, o episódio é um dos mais queridos pelos fãs e um dos motivos de Buffy ser uma série tão especial. 


Compartilhe

Written by:

16 Posts

Bat-fã, que ama cachorros, quadrinhos, chocolates e coisas velhas. Formada em História pela Universidade de São Paulo; tem como metas de vida trabalhar com arquivo histórico e HQs (de preferência ao mesmo tempo), e convencer sua irmã mais velha de que a Canário Negro venceria em um combate corpo a corpo contra a Caçadora.
View All Posts
Follow Me :