[QUADRINHOS] Porque você deveria ler “Mayara & Annabelle” (resenha)

[QUADRINHOS] Porque você deveria ler “Mayara & Annabelle” (resenha)

Compartilhe

Quando uma ninja funcionária pública federal, que não leva desaforo pra casa, é transferida da agitada São Paulo para a ensolarada Fortaleza, achou que nada podia ser pior que aquilo. O que ela não sabia é que essa transferência nos daria um dos quadrinhos mais divertidos do cenário independente brasileiro.

Mayara & Annabelle” é uma dupla improvável e por isso mesmo clichê, como toda boa dupla de histórias de ação e aventura. Mas eu duvido que você já tenha lido algo parecido com essa combinação. Mayara é uma paulista nipônica branquela, assessora técnica em combate que leva o trabalho a sério demais. Justamente por investigar a fundo onde não devia, ela é transferida para Fortaleza evitando uma exoneração e lá conhece Annabelle, a cearense assessora em magia que chora assistindo série e adora sol e cerveja.

As duas são funcionárias da Secretaria de Atividades Fora do Comum do Ceará (SECAFC-CE), onde aparentemente não acontece quase nada fora do comum, a despeito do trabalho agitado que Mayara tinha em São Paulo. Sem contar a falta de verba e o trabalho desvalorizado da secretaria – familiar, hein?! Mas esse cenário muda com a chegada da ninja e sua katana, e as duas funcionárias precisam trabalhar juntas para descobrir o que está por trás dos ataques de caranguejo gigante e outras aparições sobrenaturais.

O volume 1 da série é uma apresentação rápida das personagens e da trama, que vai te deixar doente por ler mais! Não só pelo roteiro divertidíssimo do alagoano Pablo Casado, mas também pela arte maravilhinda do cearense Talles Rodrigues. Os traços leves, que lembram um pouco os mangás, fazem o desenho saltar das páginas, sem falar nos 50 tons de cinza e laranja que dão a dinâmica da arte.

O volume 2 se aprofunda muito mais na trama em si, trazendo uma herança do coronelismo que ainda é presente em muitas cidades, com uma briga secular entre magos e demônios. E nos apresenta uma vilã arretada e braba que anda num chiquetê e vai dar muito trabalho pras nossas secretárias-públicas-heroínas-migas. Nesse volume, pra não sobrar dúvidas de que Pablo Casado e Talles Rodrigues conseguiram criar duas heroínas chutadoras de estereótipos, conta com uma galeria de artes feitas pelas maravilhosas Ana Luiza Koehler, Brendda Lima, Camila Torrano, Débora Santos e Lu Cafaggi. <3

Ambientar uma história de heroínas nada estereotipadas, num contexto mais brasileiro impossível, com uma arte tão divertida e dinâmica quanto o roteiro, é o maior mérito de “Mayara & Annabelle”. Fora que, pelamordethor, já somos melhores amigas dessas duas! E pra não dizer que eu não avisei, prepare seu dicionário de expressões nordestinas.

A série ainda promete ter mais 3 volumes. Enquanto isso a gente vai lidando com a curiosidade pra desvendar esse mistério que cerca a SECAFC!

530350328

Onde comprar/ler “Mayara & Annabelle”?


Compartilhe

Written by:

39 Posts

Bagunceira e bagunçada, por dentro e por fora. Prefere ver séries em maratonas, menos Game of Thrones, porque detesta spoiler. Totalmente apaixonada por desenho e animação. Tem mania de citar filmes em conversas, conselhos, brigas ou onde couber uma referência. Prefere gastar dinheiro com quadrinhos do que com comida, sendo muito entusiasta do quadrinho nacional e graphic novels em geral. Formada em Jornalismo, mas queria mesmo trabalhar com roteiro e ilustração.
View All Posts
Follow Me :