Gatos: uma carta de amor aos gatos de Istambul, da diretora Ceyda Torun

Gatos: uma carta de amor aos gatos de Istambul, da diretora Ceyda Torun

Estreia amanhã (13) no Espaço Itaú de Cinema o documentário Gatos (no original: Kedi), da diretora da diretora turca, Ceyda Torun. O documentário conta com sensibilidade e leveza a importância e o significado histórico dos gatos na cidade de Istambul, na Turquia. Em Gatos, conhecemos os percursos de alguns felinos da região e as histórias movidas por sentimentos singelos que esses felinos geram aos humanos.

[Não contém spoilers]

Gatos

É a partir dos diversos relatos que conhecemos de pessoas que tiveram suas vidas tocadas pelo convívio com os gatos que a sensibilidade do documentário é construída. E assim como os humanos, cada gato em Istambul têm personalidades e costumes diferentes.

Conhecemos, por exemplo, um relato comovente e simbólico de um pescador, que a partir de um acontecimento que o impactou, passou a admirar e a compreender a sabedoria que podemos extrair do convívio e respeito mútuo, e não deixa de viajar em seu barco nenhuma vez sem a companhia deles. 

A diretora também demonstra, a partir da perspectiva de uma artista plástica muçulmana da região, um comparativo dos gatos com a questão de gênero e os problemas que as mulheres turcas enfrentam. Nesse momento, podemos lembrar do texto da autora Aline Valek, “Gatos são animais que não se dão ao respeito”.

Gatos é carregado de frases impactantes e lições valiosas que homens e mulheres aprendem os esse seres dotados de flexibilidade e que escolhem seus donos através do amor e respeito que recebem. Eles compreendem onde são bem vindos e recebem proteção e segurança.

Podemos entender que o respeito admirável dos cidadãos turcos tem como origem o impacto histórico pelo convívio antigo com os felinos na região, pois sabemos que a origem dos gatos domesticados é do Egito e do território atual da Turquia.

Gatos
A diretora, Ceyda Torun.

A diretora, através de uma cena rápida e simbólica demonstra certa preocupação com as questões políticas da Turquia, sobre o atual governo do presente Recep Tayyip Erdoğan. Vemos uma cena onde um gato boceja diante de uma mensagem em stencil, que critica o presidente atual da Turquia e demonstra que é possível criticar um governo até mesmo em um documentário sobre gatos.

Além disso, o documentário aborda também o problema da gentrificação estabelecida entre os habitantes de Istambul e os gatos, onde comerciantes antigos de bairros temem tanto pela constituição de suas rendas, quanto pelos gatos que estão acostumados a frequentam esses lugares recebendo os cuidados necessários. 

Certamente o que pode nos incomodar um pouco no documentário (ainda mais para quem compreende o problema que enfrentamos no Brasil com cerca de 37 milhões de animais abandonados no país, dentre eles, cerca de 21 milhões de gatos) é a falta do controle reprodutivo dos felinos em Istambul.

Com o desenvolvimento de colônias de gatos torna-se incontrolável a quantidade e distribuição necessária de alimentação e de atendimento veterinário. Felizmente o documentário mostra a perspectiva de pessoas que cuidam e alimentam dos gatos, porém, podemos questionar que o número de pessoas que se preocupa pode não ser o suficiente, assim como o trabalho árduo que ONGs brasileiras de gatos enfrentam. 

Leia também:
>> [CINEMA] Divinas Divas: sobre lugares de afetos e memórias
>> [DOCUMENTÁRIO] The Mask You Live In: 10 Motivos Para Assistir
>> [DOCUMENTÁRIO] “Feministas: O Que Elas Estavam Pensando?” é um abraço necessário em momentos de desesperança

Se fizermos um comparativo com o Brasil, sabemos que muitos brasileiros por falta de conhecimento e afeto ainda pensam que gatos são animais transmissores de doenças e os envenenam cruelmente. Em Istambul, apesar da falta de controle, vemos no documentário que as pessoas realmente admiram os felinos, tanto que em um momento vemos a importância que os gatos tiveram no procedimento terapêutico de problemas decorrentes de saúde mental. 

Gatos

Gatos

Gatos é um documentário essencial para quem gosta desses felinos adoráveis e companheiros. Cada gato que conhecemos no documentário deixa um aprendizado em nossas vidas, assim como na vida dos habitantes de Istambul. É uma verdadeira e tocante carta de amor da diretora Ceyda Torun aos gatos da região. 

“A vida é bela, se você souber viver. Você só pode amar se o seu coração estiver aberto. A vida é bela quando você olha as coisas com amor. Se você puder aproveitar a presença de um gato, um pássaro ou uma flor, o mundo será todo seu.” – Gatos

Veja programação completa aqui.

Autora:

289 textos

Fundadora e editora-chefe do Delirium Nerd. Revisora. Apaixonada por gatos, café, cinema do oriente médio, quadrinhos e animações japonesas. Ouve muito Harry Styles e cantoras melancólicas.
Todos os textos
Follow Me :