[GAMES] The Letter: Muito mais do que uma simples corrente (sem spoilers)

[GAMES] The Letter: Muito mais do que uma simples corrente (sem spoilers)

O Halloween finalmente está chegando! E aproveitando esse mês dedicado às coisas sobrenaturais e macabras, por que não falar de um jogo de terror?

Lançado em julho de 2017 pela desenvolvedora Yangyang Mobile, The Letter é um jogo de terror para aqueles que buscam fugir de narrativas com roteiros fixos, para traçar suas próprias jornadas. Quem gosta de Visual Novels e de poder fazer escolhas, já deve estar familiarizado com essa pegada, mas este jogo leva isso ao extremo.

Nessa jornada começamos com Isabella Santos, uma das funcionárias da imobiliária Briar Realty Company e responsável pela venda da infame Ermengarde Mansion, apesar de incomodada pelas muitas lendas sobre o local.

Quem dera fossem apenas lendas

The Letter

Encontrar uma carta com “me ajude” escrito com algo vermelho, além de um “envie isto para mais 5 pessoas senão…” pode até parecer brincadeira, uma daquelas correntes que conhecemos bem, mas as coisas tendem a ficar um pouco mais sérias quando essa carta é acompanhada de um fantasma que tenta te matar.

Agora, assombrada por uma possível maldição e pela culpa de talvez ter envolvido seus amigos nisso por acidente, Isabella procura uma forma de impedir mais “acidentes”, descobrindo mais sobre a história da própria cidade no processo.

Mecânica

O jogo é dividido em 7 capítulos, um para cada personagem principal. Isabella aparece apenas no primeiro capítulo, onde podemos conhecer mais de sua personalidade e traçar sua jornada individual e como ela afeta os outros personagens nos capítulos seguintes. Cada capítulo te mostra mais da história, seguindo o ponto de vista de cada personagem.

Durante a gameplay, em vários momentos você será forçado a escolher entre duas alternativas que, por mais inofensivas que possam parecer, têm o potencial de mudar todo o rumo do jogo, mesmo que as consequências de suas escolhas não se apresentem imediatamente.

The Letter

Leia também:
>> [GAMES] Halloween: 7 recomendações de jogos aterrorizantes!
>> [GAMES] Toren: Representatividade feminina mais diversa em uma aventura épica
>> [GAMES] A Normal Lost Phone: Conheça o jogo investigativo com protagonismo LGBTQ+

The Letter leva o conceito de efeito borboleta ao máximo, tendo um sistema de relacionamento entre os personagens que afetarão diretamente as escolhas disponíveis e a forma como os personagens interagem entre si mais para frente do jogo, criando incontáveis possíveis finais. Com resultados que podem ir desde acabar com uma amizade até a morte de todos os personagens, por exemplo; suas escolhas definem tudo.

Como já é de se esperar de uma Visual Novel, as mecânicas do jogo giram em torno de textos, escolhas e artes incríveis, mas The Letter se destaca por todos os personagens terem voz (infelizmente, apenas em inglês), por mais secundários que sejam, além de interromper as longas leituras com alguns quick time events.

A história é coerente, mudando de acordo com suas escolhas e dando mais peso para cada uma delas. Os personagens são todos complexos e bem explorados, tendo suas próprias batalhas individuais que fogem da trama central, tornando-se histórias paralelas.

Representação

No campo da diversidade, nós, mulheres, estamos muito bem representadas, tendo 4 protagonistas com plena capacidade de se defender. Na parte da diversidade racial e LGBT, temos histórias e personagens que compreendem bem o assunto, de formas que iram te surpreender.

O jogo está disponível na Steam, mas também tem sua versão para celular, onde o primeiro capítulo é gratuito, o que serve como uma forma de Demo do jogo.

Confira o trailer:

Escrito por:

5 textos

Gamer, viciada em livros e gatos. Grande fã de jogos indies e histórias de ficção.
Veja todos os textos
Follow Me :