Guardiã – A Detetive do Sobrenatural: uma mulher que luta contra criaturas míticas e a sociedade londrina vitoriana

Guardiã – A Detetive do Sobrenatural: uma mulher que luta contra criaturas míticas e a sociedade londrina vitoriana

Compartilhe

O holandês Robbert Damen, nascido em 1971, trabalha como ilustrador e cartunista desde 1996. O alcance doe seu trabalho é bem variado, já que vai desde as histórias em quadrinhos do Pato Donald na Holanda até estúdios de tatuagem e agências de publicidade. No álbum Guardiã – A Detetive do Sobrenatural, de 2012, Damen nos apresenta à sua heroína, a guardiã do título, uma jovem investigadora da Scotland Yard que procura desvendar crimes da Londres Vitoriana quando a habilidade mundana dos policiais locais não é o suficiente para solucionar os mistérios sobrenaturais.

A Guardiã - Detetive do Sobrenatural
A qualidade dos quadrinhos da AVEC Editora é impecável. O formato maior/europeu e as páginas em papel couché fosco 150mg proporcionam uma agradável experiência de leitura.

Nesse primeiro volume estão concentradas três histórias da personagem: Sir Godfried, Srta Banning e Doutor Lowe. Os títulos são os nomes de personagens envolvidos nos casos investigados pela detetive. As histórias são curtas e bem objetivas, mas cada uma nos traz mais informações sobre quem é a Guardiã e a natureza do seu trabalho, que não são tão diferentes assim das criaturas que ela persegue pelas ruas escuras da cidade.

Mas mesmo ao final da terceira história ainda temos muitas perguntas a respeito dela que ficam sem ser respondidas. Trazendo muita influência do folclore vitoriano inglês, a HQ pode agradar aos fãs de seriados como Penny Dreadful e Ripper Street, tanto pela natureza fantástica de seus personagens quanto pela ambientação das histórias.

A Guardiã - Detetive do Sobrenatural

A representação feminina em A Guardiã – Detetive do Sobrenatural

O trabalho da Guardiã não é dificultado apenas pelos seus embates contra criaturas míticas; ela também precisa lidar com os obstáculos impostos pela própria alta sociedade londrina do século XIX, onde os crimes acontecem. O ambiente majoritariamente masculino da Scotland Yard também não ajuda, pois mesmo que as conexões da detetive com a agência de polícia sejam fortes, sua competência ainda é questionada pelo simples fato de ser mulher.

Apesar de a Guardiã ser a única personagem feminina de destaque nesse álbum – sendo as outras apenas as vítimas cujos assassinatos ela precisa resolver – o destaque fica para a segunda história, intitulada Srta. Banning, na qual a Guardiã investiga uma série de assassinatos brutais que acontecem nas noites de lua cheia, mostrando todo o seu potencial profissional. 

A arte de Robbert Damen nos remete ao trabalho de Mike Mignola em seu Hellboy, devido  ao uso acentuado de luz e sombras, à coloração e até mesmo ao clima pulp das histórias, que pode agradar também aos fãs do quadrinista norte-americano.

A Guardiã - Detetive do Sobrenatural
O álbum é mais uma publicação da AVEC Editora, que nos brinda com alguns títulos da Don Lawrence Collection, com um projeto gráfico de excelente acabamento e tradução de Geert Geeven e Carolina Cronemberg. 


Guardiã - A Detetive do Sobrenatural

Guardiã – A detetive do sobrenatural

Robbert Damen

Editora AVEC

47 páginas

Onde comprar: Amazon

Esta obra foi cedido pela editora para resenha.

Conheça as obras da AVEC Editora: Site Oficial Facebook  Compre aqui livros da editora


Compartilhe

Autora

49 Posts

Formada em Comunicação Social, mãe de um rebelde de cabelos cor de fogo e cinco gatos. Apaixonou-se por arte sequencial ainda na infância quando colocou as mãos em uma revista do Batman nos anos 90. Gosta de filmes, mas prefere os seriados. Caso encontrasse uma máquina do tempo, voltaria ao passado e ganharia a vida escrevendo histórias de terror para revistas Pulp. Holden Caulfield é o melhor dos seus amigos imaginários.
Veja todos os textos
Follow Me :