[CINEMA] Temporada: O tempo dentro de nós (crítica)

[CINEMA] Temporada: O tempo dentro de nós (crítica)

O longa-metragem Temporada, dirigido e roteirizado por André Novais Oliveira e protagonizado pela excelente Grace Passô, que dá vida à personagem Juliana, estreia nos cinemas no dia 17 de janeiro.

Juliana (Grace Passô) passou num concurso público para trabalhar no combate à endemias em Contagem – Minas Gerais, por isso se muda de Itaúna (também em Minas Gerais) e sua vida aos poucos vai se transformando, oferecendo uma chance de recomeço. Com simplicidade e beleza, André Novais traz um breve recorte da vida de Juliana, apresentando o momento exato onde a vida dessa jovem mulher está sendo revisitada por ela mesma.

Temporada

Sem grandes complexidades e nada óbvio, Temporada conta a história de pessoas ordinárias que vivem os dilemas existenciais e reais de qualquer indivíduo, sem fazer uso de mecanismos filosóficos e discursos de grandeza elevada. Podemos dizer que é um filme sem grandes pretensões, o que o faz uma película bela e profunda.

Grace Passô (“Praça Paris”) dá à sua personagem profundidade e entrega necessárias para contar a história de Juliana. Mulher negra que vive na periferia da cidade, ao se mudar sozinha para outro município (o marido deve encontrá-la em breve) ela se depara com os medos e os fantasmas que habitam seu inconsciente.

Temporada

Estar só é uma condição inerente ao indivíduo, afinal nascemos amparados por alguém (alguéns), mas sozinhos. Do momento em que nascemos até o fim de nossas vidas buscamos sempre nos rodearmos de outros indivíduos e dessa forma garantir grande parte de nossa existência em sociedade. Portanto, podemos afirmar que temos propensão a viver em sociedade e desenvolvemos uma gama de habilidades para garantir que nunca estaremos só. Mas o que acontece quando não temos o talento social necessário para dividirmos nossa intimidade com o outro e, nesse caso, nos deparamos com uma solidão inesperada?

Juliana nunca foi uma pessoa de muitos amigos. Seus dilemas e sofrimentos ficavam sempre escondidos dentro de si mesma, evitando aparecer até mesmo para ela. Sua vida social resumia-se ao marido e a alguns breves contatos com seus familiares.  

Quando se muda para Contagem, a solidão momentânea desse processo de adaptação ao novo cenário – cidade nova, emprego novo, casa nova e por que não novos amigos – a coloca no lugar de quem tem a oportunidade de se reinventar. A personagem, então, inicia um processo de revisitação de temas dolorosos de seu passado e aos poucos vai se abrindo a sua nova vida, quebrando velhos hábitos e se permitindo viver esse momento. 

Temporada

Leia também:
>> [CINEMA] Praça Paris: suspense sobre racismo e paranoia social
>> [SÉRIES] Atlanta: Uma das melhores séries da atualidade que você precisa assistir!
>> [LIVROS] Infiltrado na Klan: Memórias de um policial negro que enfrentou a Ku Klux Klan

Como agente de saúde, a função de Juliana e dos membros de sua equipe é visitar as casas de pessoas de determinadas regiões, em busca de possíveis focos de proliferação de doenças endêmicas. Por conta disso, adentram na intimidade das pessoas, conhecendo todo tipo de gente e, por um breve instante, fazendo parte de suas vidas. Essa experiência abre em Juliana o desejo de ser acolhida e resgatar sua história.

Temporada é um termo que pode ser usado para designar um período mais ou menos longo de tempo ou ainda uma estação do ano. Todos da equipe de endemias onde juliana foi trabalhar encaram o posto de agente de saúde como algo temporário, mesmo que alguns deles estejam nessa função há quinze anos. Parece que o filme recebeu esse título muito mais pensando na temporalidade da vida e de nossos caminhos do que no prazo em que cada agente permanecerá nessa função.

Temporada

Mas não é exatamente assim a vida? Vivemos temporariamente momentos distintos ao longo de nossa existência. Nascemos e somos bebês, crescemos e somos crianças, e logo ingressamos na vida adulta onde finalmente nos preparamos para envelhecer e por fim morrer. Isso é o tempo provando que cada etapa na vida é uma temporada e que em muitos momentos nos deparamos com novas oportunidade de mudanças e recomeços, mas todos de forma temporal.

Aceitar essa temporariedade e se jogar num recomeço é o que nos faz indivíduos em constante evolução. Juliana aceitou recomeçar sua temporada em outro lugar e não teve medo de enfrentar o desconhecido. Aceitou com simplicidade a vida, não sem buscar respostas ou tentar entender o que viveu antes, mas sim mergulhando de cabeça nesse novo tempo.

Temporada

Grace Passô consegue viver e transmitir verdade às personagens que encarna. De um jeito dramático mas muito simples, podemos entender que algo dentro de Juliana está quebrado e ela busca compreender em que momento esse algo se quebrou. Há grande sofrimento dentro dela, mas a personagem não tem recursos internos para dividir e elaborar suas dificuldades e seus dilemas. Portanto, tudo se passa no campo da interpretação da atriz e na ambientação do filme.

Enquanto buscamos super produções e interpretações de grande eloquência, Temporada nos presenteia com uma história cotidiana de gente simples da periferia, mulheres, homens, negros e brancos, que aceitam viver cada uma de suas temporadas de forma resignada e agradecida.

Recomendamos o filme e esperamos que aproveite sua Temporada no cinema!

Escrito por:

41 Textos

Mulher, mãe, profissional e devoradora de filmes. Graduada em Psicologia pela Universidade Metodista de São Paulo, trabalhando com Gestão de Patrocínios e Parceiras. Geniosa por natureza e determinada por opção.
Todos os textos
Follow Me :