Fabiana: road movie sobre a vida de uma caminhoneira trans no Brasil

Fabiana: road movie sobre a vida de uma caminhoneira trans no Brasil

A diretora Bruna Laboissière conheceu a caminhoneira Fabiana viajando pelo Brasil de carona. Com o tempo, e com a amizade formada, surgiu a ideia de trazer essa personagem tão interessante para a tela do cinema. O documentário, exibido na Mostra do DOCSP deste ano, acompanha a última viagem de Fabiana antes de se aposentar.

Bruna filmou tudo sozinha enquanto acompanhava Fabiana pela estrada. No início, fazia várias perguntas sobre sua vida e seu passado, sobre o fato de ser uma mulher trans, e coisas do tipo, mas, ao notar a reserva da protagonista quanto a esses assuntos, preferiu respeitar essa inquietação e filmar apenas o que ela estivesse disposta a contar.

Fabiana - documentário - crítica
Fabiana no documentário de Bruna Laboissière. (Imagem: reprodução)
Leia também:
>> Vaya: a inocência encontra a dureza da cidade grande
>> Mulheres na História do Cinema: Lois Weber
>> Bacurau: o Brasil invisível mostra sua resistência!

O que conseguimos acompanhar, então, é o lado afável de Fabiana, algumas de suas histórias, que conta viajando, e, mais perto do final, a interação conturbada com sua namorada Priscila. A diretora optou por uma montagem não invasiva, deixando de fora cenas de brigas mais feias entre as duas, por mais que algumas das cenas até fossem interessantes do ponto de vista estético, com uma bela fotografia, segundo ela. Isso é muito relevante enquanto método de abordagem. Sendo comum muitos documentários se refestelarem em seu caráter invasivo, aqui a diretora optar por um olhar respeitoso à intimidade de sua personagem é algo louvável.

O fato de não focar nas questões identitárias permite que vejamos Fabiana de forma individual, o que é bastante interessante. Mesclando os silêncios e as conversas, Bruna também inclui outra faceta de Fabiana, quando confrontada com a personalidade forte de Priscila.

É ótimo poder simplesmente acompanhar uma personagem tão interessante em seu cotidiano, que não é nada usual. Também é reconfortante o fato da diretora se colocar no documentário, interagindo com as personagens, embora sempre atrás da câmera. Por fim, é sempre bom relembrar que existe alguém guiando o olhar da câmera, e ter noção da relação dessa pessoa com as que estão sendo retratadas. “Fabiana” é um road movie que vale muito a pena ver na tela do cinema.


Edição e revisão por Isabelle Simões.

Escrito por:

79 Textos

Cineasta, musicista e apaixonada por astronomia. Formada em Audiovisual, faz de tudo um pouco no cinema, mas sua paixão é direção de atores. Vocalista da banda Noite e compositora nas horas vagas. Também escreve sobre cinema em seu site Cine Medusa.
Todos os textos
Follow Me :