Horizon Zero Dawn: diversidade e protagonismo feminino em um mundo pós-apocalíptico

Horizon Zero Dawn: diversidade e protagonismo feminino em um mundo pós-apocalíptico

No final do mês passado (28 de fevereiro), Horizon Zero Dawn chegou às lojas. Uma das grandes apostas da Sony, o jogo é exclusivo para PlayStation 4. Muito já se especulava sobre como um jogo que mistura tribos primitivas e animais robôs ia funcionar. Vem conferir com a gente o resultado desse mundo “diferentão” que a Guerrilla Games criou (Sem spoilers, é claro)!

História

A jornada do Herói, nesse caso Heroína, entrega a aventura esperada do gênero: uma jovem de origem humilde, excluída por sua tribo quer descobrir a verdade sobre seu passado e acaba envolvida em um conflito de proporções muito maiores do que era capaz de imaginar. Essa receita de bolo das histórias que já conhecemos em tantos livros, filmes e games é executada com perfeição em Horizon Zero Dawn. O fato do arco de Aloy não ser nenhuma novidade em termos de narrativa não prejudica necessariamente a experiência de se jogar esse game. A inovação fica por conta do universo construído ao redor de Aloy.

Horizon Zero Dawn

Personagens

Aqui é onde o game deixa um pouco a desejar. Aloy é o exemplo perfeito de protagonista herói. Gentil, bondosa, corajosa e obstinada. A falta de defeitos e fraquezas faz com que seja difícil se identificar com ela. Apesar da variedade de NPCs e side quests que o game apresenta – todos desenhados de forma que se pareçam com pessoas reais – quando comparados com personagens de outros RPGs de sucesso, eles se tornam bastante superficiais. Seus diálogos com Aloy foram pensados de maneira simplista, para não tomar muito tempo do jogador e desviar apenas brevemente nossa cabeça da quest line principal. Todos parecem conhecê-la (oi? essa menina não teve contato nenhum com o mundo durante toda a sua vida!), e falham no trabalho de nos fascinar com suas histórias de uma forma mais profunda. 

Horizon Zero Dawn

Universo

Este é realmente o ponto mais alto do game. A sensação de deslumbramento enquanto se percorre os quatro cantos do mapa de Horizon Zero Dawn é algo que vai permanecer com você durante todo o jogo. A qualidade gráfica unida ao cuidado em criar paisagens credíveis de nosso mundo e ao mesmo tempo fascinantes não vai passar despercebida ao jogador. Como em outros games que se passam em um mundo pós apocalíptico, por exemplo The Last of Us,  a natureza tomou para si o que antes eram prédios, estádios, pontes e fábricas. Você vai explorar montanhas nevadas, florestas tropicais, desertos e planícies em uma experiência imersiva e agradável.

É interessantíssimo observar como as tribos que compõem este mundo se relacionam com seu meio, reverenciando a natureza e as máquinas de origem misteriosa com as quais coexistem. Incorporando para si o uso do metal de maneiras diferentes às quais estamos acostumados. O detalhe da equipe de design em criar as cidades e vestimentas de cada tribo contribuem para a imersão do jogador. Conforme acompanhamos Aloy em sua jornada, descobrimos o que foi responsável pelo colapso do mundo moderno, há centenas de anos, e porquê a sociedade atual encontra-se num estado tão primitivo. Este é sem dúvida o maior mistério do jogo, que certamente não desaponta quando finalmente é revelado.

Horizon Zero Dawn

Gameplay

A mecânica típica dos RPG‘s ficou bastante interessante neste game. Aloy usa de uma variedade de armas que não são muito exploradas em outros jogos. Além do tradicional arco e flecha, você pode comprar um lança dardos, um lança granadas, armadilhas, bombas e, uma lança curta. Também existem vários tipos de munição com efeitos específicos para cada tipo de robô. As combinações de armas e munições a serem usadas durante o combate podem variar conforme a sua preferência e faz com que o jogo não perca a sensação de desafio. O local escolhido para enfrentar seus inimigos também é um quesito chave, e antes de confronta-los você precisa analisar o local e qual será a sua estratégia.

Outros elementos típicos de games de aventura também estão presentes aqui. Se você já jogou Tomb Raider vai identificar um pouco de Lara Croft em Aloy. Esconder-se dos inimigos em moitas, escalar penhascos, equilibrar-se sobre cordas e executar seus inimigos silenciosamente são uma grande parte do jogo. Assim como Lara, Aloy não é muito boa em combates à curta distância, o que de certa forma contribui para o fator imersão do game. Seria um pouco absurdo que uma adolescente fosse capaz de enfrentar robôs com três vezes o seu tamanho usando uma espada, você não acha?

No entanto, um dos aspectos chave de um RPG (como o game foi denominado) deixa bastante a desejar. As suas escolhas não afetam o jogo! Em inúmeros diálogos somos forçadas a escolher de que maneira Aloy deve reagir a uma determinada situação. Esta é uma situação típica de RPGs, onde a sua resposta ou ação lhe trará futuras consequências, muitas vezes alterando de forma drástica o final do jogo. Horizon Zero Dawn finge oferecer essa opção ao jogador.

Horizon Zero Dawn

Representatividade feminina

Neste quesito Horizon Zero Dawn está de parabéns! Aloy é uma protagonista forte e uma guerreira habilidosa. Além da figura da protagonista, ao longo do jogo nos deparamos com mulheres de diversas etnias ocupando diversos cargos, como chefe de guerra, ferreira, comerciante, nobre, diretora de prisão, fora da lei, etc…  Suas figuras e roupas correspondem com seus personagens e em nenhum momento elas aparecem de forma sexualizada. Em um mercado onde as principais desenvolvedoras raramente promovem qualquer tipo de diversidade, focando-se apenas na figura do homem cis branco, é um progresso encontrar um game deste calibre que represente tão bem a figura da mulher. O game também faz um bom trabalho em representar a diversidade. Encontramos personagens de todas as etnias e não parece haver nenhum tipo de distinção baseado em cor na divisão das tribos que compõem o mundo de Horizon.

Em suma, o jogo entrega uma experiência de qualidade, apesar de não ser perfeito. Uma jornada imersiva em um mundo lindamente construído. Horizon Zero Dawn é certamente um daqueles games que vai morar no seu coração e que você vai desejar poder vivenciá-lo de novo como se fosse a primeira vez. Se podemos reclamar de mais alguma coisa, é do quão curta essa experiência é. Resta-nos esperar que a história de Aloy seja um sucesso de vendas e ganhe um ou dois DLCs para aprofundar ainda mais esse universo.

Escrito por:

22 Textos

Estudante de Administração, cozinheira e confeiteira, que nas horas vagas ainda encontra um tempo pra se dedicar à escrita. Ama frio, livros de ficção, bons vinhos, bons restaurantes e filmes de época. Sonha em se tornar uma autora publicada e conhecer os quatro cantos do mundo.
Todos os textos
Follow Me :