Vincenzo: o significado de justiça em um sistema corrupto

Vincenzo: o significado de justiça em um sistema corrupto

Dentro do universo dos doramas, as famosas novelas ou séries asiáticas, encontramos as mais diversas pautas sendo discutidas. Em Vincenzo, k-drama lançado no primeiro semestre de 2021 pela Netflix, observamos como um sul-coreano, naturalizado italiano, busca defender sua cultura, moral e se reconectar com sua nação, após décadas vivendo em outro continente e cultura ao ter sido adotado.

O protagonista Vincenzo Cassano (Song Joong-Ki) é o consigliere da máfia italiana. E para defender o que acredita, ele não poupa recursos – éticos ou não – para garantir o que quer. Em 20 episódios, o k-drama explora princípios morais, corrupção, além de brincar com a nossa percepção sobre como se fazer justiça.

Do que se trata Vincenzo

Após a morte de seu pai adotivo, Vincenzo resolve retornar a Coreia do Sul para buscar uma fortuna que há muito tempo estava guardada; a fim de que pudesse iniciar um novo estágio de sua vida longe da sua, então, família mafiosa. Tal tesouro se encontrava no subsolo do prédio comercial Geumga Plaza, bem no coração de Seul. O que era para ser um processo rápido e indolor – isto é, sem violência da sua parte -, tornou-se uma jornada digna de germinar a atmosfera perfeita para a criação do anti-herói de Vincenzo.

k-drama Vincenzo
O perfil ideal de um protagonista, mocinho e herói. Via: DramaFlix

Ainda que sua presença na Coreia e no Geumga Plaza tivesse o objetivo de ser breve, o advogado acaba conhecendo o, também advogado, Hong Yoo-chan (Yoo Jae-myung) e sua filha, que também pratica advocacia, Hong Cha-young (Jeon Yeo-been).

Pai e filha, além de dividirem o mesmo ofício, encontram-se como rivais: enquanto ele defende a integridade do prédio, Cha-young faz parte da equipe jurídica do Grupo Babel – um conglomerado empresarial multibilionário – que buscam comprar tal prédio para fins executivos.

Contudo, por trás dessa inocente postura figurada como ambição, tal empresa carrega um histórico sanguinário de corrupção e acordos sujos, dos quais prejudicam toda a sociedade coreana em curto e longo prazo.

Leia também >> “Horimiya”, “Words Bubble up like soda pop” e o valor de se enxergar no mundo

Cena do dorama Vincenzo
Fonte: tvN | Netflix / Via: dramastars

Ao tomar consciência do que se trata esse embate, o personagem de Song Joong-Ki se envolve com toda essa situação e, mesmo sem a intenção, se apega aos dois advogados e habitantes daquele edifício; ainda que seu objetivo estivesse bem definido, sua estadia em Seul acaba se estendendo.

Como o nosso objetivo aqui é explorar o universo de Vincenzo sem (muitos) spoilers, vamos analisar as personagens e um pouco das construções narrativas feitas na série.

A dualidade do elenco masculino

Vincenzo

Logo nos trailers e sinopses, Vinzenzo é apresentado como um homem que não poupa esforços para realizar seus desejos e objetivos, ainda que siga determinada moralidade vigorante na estrutura mafiosa da Itália. Esperamos que ele seja violento, metódico, frio e calculista. Mas quanto mais ele interage com a família Hong e toda a comunidade Geumga Plaza, ele se permite relaxar e apresentar alguns reflexos bem-humorados e, também, vulneráveis.

Vincenzo Cassano (Song Joong-Ki)
Vincenzo Cassano (Song Joong-Ki) | Fonte: tvN / Netflix

Song Joong-Ki construiu um personagem que entregou frieza, mas também muito bom humor. Com o desenvolvimento dessa persona, compreendemos muito de sua jornada: o valor pela família que o acolheu quando adotado, além da lealdade por suas origens. Nas cenas de ação – que contrastaram tão bem com as de comédia -, o advogado transmite em seu olhar e postura toda a sua ira e raiva.

Ainda que o ator, mesmo com 35 anos, aparente ser bem mais novo e tenha uma aparência “fofa” (bochechas cheias e corte de cabelo bem juvenil), seu desempenho consegue convencer o público diante seu personagem.

Jang Han-seo

Jang Han-seo (Kwak Dong-yeon) é apresentado como o presidente da Babel Company. Inicialmente, é possível considera-lo arrogante, estúpido e não tão inteligente. Contudo, o personagem vai conquistando seu espaço no k-drama. Essa primeira impressão era fruto de um jovem rapaz com muito medo e insegurança; mas na dualidade prometida nessa sessão, é apresentado em Han-seo com um crescimento pessoal esplêndido.

k-drama Netflix
Jang Han-seo (Kwak Dong-yeon) no k-drama | Fonte: tvN / Netflix

Nos momentos iniciais de seu personagem, Han-seo era hesitante, inseguro e melindroso. Porém, no ápice de seu desenvolvimento, o irmão caçula da Mabel Company se apresenta como alguém seguro e confiante. Do seu passado, entretanto, não houve muito que explorar, mas compreendemos como suas relações familiares o constituíram: da insegurança que lhe acovardava, o personagem se construiu como um homem corajoso e também sagaz.

Han-seok

Vincenzo que nos perdoe, mas Han-seok (Ok Taec-yeon) foi o grandiosíssimo destaque do k-drama. Sem muitos detalhes, esse personagem é a grande definição de dualismo: em um primeiro momento, sua performance foi construída a partir de um humor bastante pastelão que se desenvolveu para uma postura obscura e até assustadora.

an-seok (Ok Taec-yeon) em Vinzenzo
Han-seok (Ok Taec-yeon) em Vinzenzo | Fonte: tvN / Netflix

Vamos nos limitar a falar do personagem e seu desenvolvimento para não nos aprofundarmos em muitos spoilers. Contudo, não há limitações para falar da atuação de Taecyeon (que além de ator, também é idol de k-pop no grupo masculino 2pm). O artista já havia feito outros trabalhos, como Ei, fantasma, vamos lutar (disponível na Netflix). Mas em Vincenzo, ele pôde apresentar novas camadas de seu talento para atuar e demonstrou, em um equilíbrio inimaginável entre humor e sadismo, um personagem dolorosamente detestável.

Leia também >> 5 indicações para quem quer começar a assistir k-dramas

As fantásticas personagens femininas

Se com o núcleo masculino presenciamos a dualidade entre os personagens, o núcleo feminino nos mostra certeza, confiança e ousadia. O elenco é repleto de personagens gigantescas e muito seguras de si, porém iremos focar nas personagens principais que circundam a história.

Choi Myung-hee

Choi Myung-hee (Kim Yeo-jin) por anos a fio foi uma grande promotora na justiça coreana; mas após muita insistência da Babel, ela decide sair de sua zona de conforto e procura se desafiar sendo a advogada da empresa. A partir daí, podemos enxergar sua inteligência, astúcia e total falta de escrúpulos para se comprometer em derrotar quem ousasse lhe atrapalhar ou for um empecilho dentro de seus objetivos.

Choi Myung-hee em Vincenzo
Choi Myung-hee em Vincenzo | Fonte: tvN / Netflix

Quanto ao seu desenvolvimento, não há muito que falar – a personagem não possuía tantas camadas para análise. Entretanto, sua ambição e raciocínio bélico são satisfatórios de acompanhar. Ainda que no desenvolvimento central da série o roteiro tenda a “emburrecê-la” (decisões obviamente precipitadas e amadoras, totalmente fora do perfil da advogada), ela consegue manter uma personalidade arrogante, extremamente detestável e, mesmo assim, fantasticamente interessante de acompanhar e odiar.

Hong Cha-young

De uma inteligência inclassificável, Hong Cha-young concebe em suas mãos o equilíbrio entre humor e astúcia. Cha-young amadurece a cada capítulo de Vincenzo. Nos impressionamos com a maneira que essa personagem, antes extremamente focada e ambiciosa, é capaz de modelar a melhor medida conjunta entre empatia e seu crescente e honesto senso de justiça.

Hong Cha-young (Jeon Yeo-been) no k-drama
Hong Cha-young (Jeon Yeo-been) no k-drama | Fonte: tvN / Netflix
Leia também >> A Samurai e o protagonismo feminino

Parte do público tende a classificá-la como uma protagonista irritante ou sem carisma, mas podemos enxergá-la de outra maneira. Cha-young é dona de si, com interesses bem definidos, além de não abaixar a cabeça para qualquer infortúnio. Irônica, justa e esperta – apesar de não ser tão ética em alguns momentos -, é uma grande advogada e cresce a partir de cada dificuldade, brilhando nos momentos de glória.

O grand finale de Vincenzo

Com 20 episódios de mais ou menos 1 hora e 20 minutos de duração, Vincenzo traz uma diferente abordagem a respeito da sociedade sul-coreana. Através de cenas que transitam de maneira fluída e natural entre a comédia e ação, observamos como a sociedade pode ser sádica, corrupta e injusta. Mas que dependendo da sua perspectiva de justiça, é possível confiar e trabalhar em possíveis soluções.

E falando em justiça, a trama central de Vincenzo conversa exatamente sobre isso: moralidade e ética são sinônimos de justiça? Justiça com as próprias mãos seriam válidas dentro de um sistema corrupto? Àqueles que dominam o sistema, podem (devem ou serão) julgados por seus erros? A série não te trará nenhuma resposta, mas implicará com muitas reflexões partindo dessas perguntas.

Cena de Vincenzo | Fonte: tvN / Netflix / Via: vincenzosincero

Sobre os pontos fracos, o pseudodesenvolvimento romântico é bem desnecessário – ainda que a mesma esteja longe de ser o objetivo do drama. O casal, portanto, funciona mais como parceiros de trabalho ao invés de uma relação romântica. Além disso, o roteiro se apresentou meio preguiçoso ao emburrecer seus vilões com planos superficiais, nada dignos da inteligência apresentada por eles no inicio da história.

Leia também >> Coming of Age e o amadurecimento como narrativa

Vincenzo é uma ótima opção para quem busca uma história que foge do padrão euro/norte-americano de entretenimento. Pra quem gosta de uma narrativa que não constrói mocinhos e queira algo sem romance, certamente irá se entreter com esse drama sul-coreano repleto de ação e uma narrativa viciante, convincente e bem fechada.

Escrito por:

14 Textos

Ket tem 23 anos, é formada em Letras - Língua e Literatura Portuguesa, pela UFAM. Nasceu e criou-se em Manaus, onde ainda mora. Não é capaz de conceber uma realidade em que as mulheres não sejam livres, uma vez que sua vida inteira viveu em um lar matriarcal. Gosta de histórias tristes, é fascinada pela cultura Sul-coreana e chora com animes.
Todos os textos
Follow Me :