7 motivos para assistir “Carmen Sandiego”

7 motivos para assistir “Carmen Sandiego”

Compartilhe

Quase toda semana com novos lançamentos, a Netflix mostra que não está de brincadeira! Dominando todas as telas eletrônicas, a plataforma de streaming lançou em janeiro deste ano a série “Carmen Sandiego” (com dublagem de Gina Rodriguez), personagem protagonista de “Where in the World Is Carmen Sandiego?”, jogo produzido pela Brøderbund Software na década de 80 com cunho educativo – e com livros, quadrinhos e cerca de sete jogos de tabuleiro da ladra mais famosa do universo pop -, além de também ter se tornado um desenho animado nos anos 90 – a série é dirigida por Duane Capizzi (de “O Batman” e o livro “Transformers – Robots In Disguise”).

A nova série da Netflix contém (ainda) apenas uma temporada, com nove episódios de aproximadamente 35 minutos cada, e mostra que outras ainda estão por vir – deixando a telespectadora com muita sede por mais da história fascinante cheia de perseguições, mistérios e momentos de tensão e alívio – quando Carmen mostra quem manda. Se você ainda não assistiu, confira sete motivos para começar já – e se você já assistiu, vai entender do que eu estou falando.

1. Empoderamento entre mulheres e amizades leais

Carmen Sandiego
Carmen e os irmãos Ivy e Zack, seus parceiros de ação (Imagem: Netflix/divulgação)

O primeiro motivo poderia ser o único para convencer qualquer pessoa a assistir “Carmen Sandiego”. Com personagens femininas poderosas, fortes e independentes, a série dá um show de sororidade e empatia, mostrando com muita clareza a importância de as mulheres se fortalecerem e lutarem juntas contra o que for – e sem menosprezar umas às outras, mesmo quando há inimizade envolvida. Também é muito notável na série a confiança em que Carmen tem em seus amigos e colegas, representando o sucesso de missões oriundo de parcerias leais. Seu amigo desde o início de sua vida de ladra, por assim dizer, Player (com dublagem de Finn Wolfhard, de “Stranger Things“), também é elemento fortíssimo no desenrolar da trama.

2. Estética e enquadramentos visuais

Carmen Sandiego
Cena de “Carmen Sandiego” (Imagem: Netflix/divulgação)

Não precisa ser especialista em design para saber que a série é um tremendo espetáculo quando se trata de estética, cores e enquadramento visual. Como a cor vermelha é a principal da paleta de cores da produção, tons avermelhados, alaranjados, terrosos e dourados tomam conta da tela, tornando a experiência cinematográfica intensa e envolvente e se contrastando com tons mais sóbrios – como cinza e grafite -, além dos traços marcantes, porém leves, dos elementos e dos personagens de “Carmen Sandiego”, que também são um ponto forte da produção, que já conta com boas notas de críticas – e ainda mais fãs.

3. Questões sociais e revelação do passado de Carmen

Carmen Sandiego
GIF: Netflix/GIPHY

É difícil falar da série sem quase disparar um spoiler, mas as questões sociais explanadas merecem atenção, já que a diversidade também é extremamente reforçada no decorrer dos nove episódios – que parecem insuficientes com a narrativa envolvente da produção – e Carmen se preocupa muito com questões sociais, como desigualdade e fundações de caridade. Nos dois primeiros capítulos, mostra-se a “origem” de Carmen e como sua história com o mundo do roubo começou, deixando a telespectadora vidrada na tela e criando simpatia com a personagem – que não se esforça nem um pouco para ser admirada, já que é totalmente carismática e muito competente no que faz. 

4. Sarcasmo, comédia e críticas ao machismo e ao mansplaining

Carmen Sandiego
GIF: Netflix/GIPHY

É sempre assim: em posições de poder – e dentro de uma hierarquia -, os homens sempre se acham superiores às mulheres e tentam nos explicar coisas que já sabemos – o famoso mansplaining. Em “Carmen Sandiego” isso é mostrado com bastante veemência e ainda com muito sarcasmo e ironia, o que torna o desenvolvimento do enredo ainda mais interessante – e mostra que a ladra mais famosa do mundo geek não se deixa abalar por comentários machistas e age do seu jeito.

Leia também:
» [SÉRIES] Parte 2 de “O Mundo Sombrio de Sabrina” é ainda mais sombria que a primeira!
» [SÉRIES] DC’s Legends of Tomorrow: representatividade, humor e viagem no tempo!
» [SÉRIES] She-Ra e As Princesas do Poder: uma atualização bem-vinda e necessária

Outro tópico positivo da produção é a comédia inserida organicamente nos diálogos e nos conflitos entre os personagens. Carmen é astuta e utiliza muitas frases de efeito – algumas sendo até lições de vida – sempre que soluciona algum módulo, por assim dizer, do crime geral. 

5. Fidelidade geográfica

Carmen Sandiego
Cena de “Carmen Sandiego” retratada em Paris (Imagem: Netflix/divulgação)

O que – também – muito chama a atenção em “Carmen Sandiego” é a fidelidade geográfica para com os países e continentes mostrados na série – já que, no jogo da década de 80, Carmen vivia por todo canto do mundo, nunca sendo revelada exatamente a sua localização. Os continentes, países, cidades, capitais e suas floras e faunas são muito bem retratadas durante o decorrer da temporada e o visual é também é muito consistente com a realidade – sem contar dados demográficos e populacionais muito bem pontuados em todos os episódios da primeira, e única, por enquanto, temporada.

Quem sempre teve vontade de jogar “Where in the World Is Carmen Sandiego?” agora vai poder, já que o Google Maps tornou isso possível! O objetivo da jogadora é achar a ladra – que roubou uma joia valiosa e vai entregá-la às autoridades – e passar por diversas partes do mundo para atingir tal objetivo. Intitulado “Where in Google Earth Is Carmen Sandiego?”, o visual é pixelado para ficar bem semelhante ao original e sua jogabilidade é simples – é necessário pegar o pegman (boneco para exploração do street view do Google Maps) e começar a investigação. Disponível para PC e celular, contém apenas um missão disponível, mas outras estão em produção e devem ser lançadas em maio e junho deste ano.

6. Bagagem e referências culturais

Outra informação relevante sobre esse item é a importância de reforçar histórias de países e continentes que tiveram suas merecidas autonomia e democracia – não podemos ser mais detalhistas, pois senão algum spoiler escapa. Mostrar como um povo se preocupa com sua nação, mesmo que esta tenha um histórico de dificuldades, mostra que as produções estão no caminho certo em frisar a importância da união de um povo para a história de sua terra natal – sem contar as referências artísticas e musicais dentro da série, como mencionar o artista Johannes Vermeer e sua técnica única de pintar a luz natural em suas obras, e também o compositor Georges Bizet, da ópera “Carmen”, além da menção à Carta Magna.

7. Curiosidades, gatinhos e cachorrinhos

Não bastasse contar a história dos locais do mundo e reproduzir monumentos – como o Taj Mahal -, “Carmen Sandiego” também entretém mostrando curiosidades aleatórias sobre esses lugares e também expressa a distração dos personagens com gatinhos fofos tocando piano e cães que supostamente deveriam ser violentos, mas se mostram dóceis e carismáticos – afinal, quem não adora um filhote na TV, não é?

Carmen Sandiego“, por fim, é uma série leve, divertida, envolvente e responsável com o que mostra, sendo incrivelmente recomendada para todas as idades e gostos e contendo muitos aspectos positivos e indícios de uma segunda temporada.

Confira o trailer e entre já nas aventuras da maior ladra de todos os tempos!


Revisão realizada por Isabelle Simões.


Compartilhe

Autora

Redatora e revisora de textos, apaixonada por língua portuguesa, jornalista de formação e curiosa nas artes gráficas. Escreve sobre terror, sci-fi e comédia e sempre tem uma garrafinha de água na mão. LGBTQIA+ e antifascista.
Veja todos os textos
Follow Me :