[QUADRINHOS] Pílulas Azuis, de Frederik Peeters (resenha)

[QUADRINHOS] Pílulas Azuis, de Frederik Peeters (resenha)

Compartilhe

“Nesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas Azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor. Não é à toa que é considerada por muitos a obra-prima de Frederik Peeters. Uma das mais belas histórias de amor já publicadas.” – Editora Nemo

A forma mais crucial de disseminar preconceitos é a ignorância sobre um determinado assunto. Quantas vezes já julgamos pessoas simplesmente por serem diferentes de nós, da nossa visão de mundo?

É comum vermos comentários e opiniões preconceituosas por causa das doenças de algumas pessoas. Porém, atualmente, notamos uma crescente representatividade na ficção, em quadrinhos e filmes sobre assuntos ainda tratados pela sociedade como tabus – como o caso, por exemplo, do vírus HIV – que é o tema principal em Pílulas Azuis.

pilulas-azuis-resenha-03

“Na trilogia Matrix, a pílula azul representava a fuga para a vida ilusória. Nesta magnífica HQ autobiográfica do suíço Frederik Peeters, ela é a garantia de que a realidade continua. Sempre cercada de incerteza, medo, desejo, dor, angústia, alegria, fé, compaixão e, principalmente, amor.” – Sidney Gusman

Em Pílulas Azuis o autor trata de um tema difícil, como o HIV, com um toque de humor, o que traz uma leveza à história.

Acompanhamos o cotidiano do casal Cati e Fred, mostrando quando se conheceram, até a constituição de sua família. O autor do quadrinho, Frederik, conta uma história autobiográfica e responde em Pílulas Azuis dúvidas comuns que muitas pessoas têm sobre o assunto. Frederik explora o tema dentro da esfera familiar: como isso afeta o filho pequeno de Cati? (Na HQ, o filho de Cati também possui o vírus HIV, que foi contraído por Cati, através do seu ex-marido) Como é a rotina de uma criança que tem o vírus? Como a Cati sente-se, por ser, em parte, responsável por gerar uma criança com o vírus? Muitas vezes Cati enfrenta crises depressivas por relembrar desse fato e de seu passado; por questionar como será o futuro do filho que tanto ama. E Fred, seu companheiro atual, sempre está lhe ajudando a atravessar essas crises, aprendendo e crescendo junto com Cati. Fred adquire cada vez mais admiração e respeito por Cati.

pilulas-azuis-resenha-01

Outra parte que vale ressaltar em Pílulas Azuis foram os diálogos existenciais que Fred tem com um mamute. Mamute?! Isso mesmo! Os dois começam a dissertar assuntos como a vida, ciência e arte – o que torna-se um diálogo profundo e cômico em alguns momentos.

Os traços de Pílulas Azuis nos lembra os da belíssima HQ premiada Retalhos, do autor americano Craig Thompson (fica mais uma dica!). Trata-se de uma história também autobiográfica, onde o autor conta a história de sua infância e adolescência, quando então conhece Raina, passando a mudar sua visão sobre a realidade.

pilulas-azuis-resenha-04

A mensagem principal que Pílulas Azuis transmite é a importância de buscarmos o conhecimento sobre um determinado assunto, que muitas vezes ignoramos e repassamos por medo comentários e opiniões preconceituosas, que podem conduzir desprezo e ódio. Por isso a importância da desconstrução nas obras e da representatividade de temas como o vírus HIV, e de outros assuntos considerados tabus em nossa sociedade. Representatividade é conhecimento e importa muito!

Em um momento da história, Fred questiona Cati:

Fred: “Quer dizer alguma coisa ao leitor?”

Cati: “Mantenha a cabeça aberta! Combata os preconceitos. Apesar de tudo…Penso muito nisso…Que todo mundo deveria ter direito a uma segunda chance.”


Aproveitamos para deixar esse vídeo bastante didático e super divertido, do canal JoutJout Prazer, de um rapaz que possui o vírus HIV e responde algumas questões e dúvidas sobre como é viver com o vírus no cotidiano e relacionar-se com outras pessoas. 


Sobre o autor:

“Frederik Peeters nasceu em 1974, na Suíça. Em 1995, formou-se em Artes Visuais pela École Supérieure d’Arts Appliqués de Genebra. Pílulas Azuis, sua obra mais conhecida, ganhou o Polish Jury Prize no festival de quadrinhos de Angoulême, o mais importante do gênero na Europa. Sua série Aâma, de quatro volumes – também  publicada pela Nemo – foi aclamada no mesmo festival em 2013, tendo recebido o prêmio de Melhor Série por seu segundo volume.” – Editora Nemo


pilulas-azuis-frederik-peeters-editora-nemo.jpg

Editora Nemo

208 páginas

17 x 24 cm

Brochura

Onde comprar:  Amazon 


Compartilhe

Autora

287 Posts

Fundadora e editora-chefe do Delirium Nerd. Revisora. Apaixonada por gatos, café, cinema do oriente médio, quadrinhos e animações japonesas. Ouve muito Harry Styles e cantoras melancólicas.
Veja todos os textos
Follow Me :