[QUADRINHOS] “Witchy” e a magia da representatividade

[QUADRINHOS] “Witchy” e a magia da representatividade

Compartilhe

Witchy é uma webcomic feita por Ariel Ries. No momento ela tem um pouco mais que 170 páginas e é atualizada toda segunda-feira. A história se passa no reino de Hyalin, um mundo fantasioso onde todos têm poderes mágicos. Nesse universo, a força mágica de cada um é determinada pelo comprimento de seu cabelo. Aqueles que são fortes o bastante, são recrutados para a Witch Guard, que garante o cumprimento da lei em tempos de paz e protege a terra durante a guerra. No entanto, aqueles cujo cabelo é determinado longo demais, são declarados inimigos do reino e aniquilados. Isso é chamado de queima de bruxas. 

[NÃO CONTÉM SPOILER]

Embora pareça mais uma comic como outra qualquer, é interessante a forma como a representatividade e as relações, tanto familiares quanto as amizades, são representadas, mostrando elas de forma natural e fugindo dos estereótipos.

A protagonista é Nyneve, uma jovem de 18 anos que mantém ótimas notas nas provas teóricas, mas falha em todos os testes práticos de magia. Nyneve e seus colegas chegaram na idade de passar pelo recrutamento, onde alguns estudantes serão selecionados (querendo ou não) para trabalharem na Witch Guard, a maior honraria no reino (sim, bem próximo ao alistamento obrigatório).

 

Enquanto a maioria dos alunos torce para serem selecionados, Nyneve deseja o contrário. Quando criança, seu pai foi executado em uma das queimas devido ao comprimento de seu cabelo, fazendo com que Nyneve criasse uma repulsa em relação ao reino.

Além de ela não simpatizar com o reino devido à morte de seu pai, ainda tem o cabelo mais comprido entre seus colegas. Para esconder isso, usa um encantamento de encurtamento, criando uma ilusão para que seu cabelo aparente ser menor do que realmente é. Assim sendo, apenas sua mãe sabe seu verdadeiro comprimento.

A relação de Nyneve com sua mãe é incrível. Ao contrário do que estamos acostumado em histórias com personagens jovens, Nyneve não esconde nada de sua mãe, que ao invés de repreendê-la pelos erros que comete, a ajuda a resolvê-los.

A história conta com personagens diferentes entre si, de todos gêneros, cores ou tamanhos. No FAQ da comic, a autora diz que nenhuma das personagens são brancas, sendo todas asiáticas ou australianas. Depois de uma boa parte da história, descobrimos também que uma das personagens (que está lá desde o início) é transsexual, e achei muito bem representado a forma como colocaram ela, sem tratá-la de forma diferente ou resumir sua história ao fato de ser transsexual.

Nyneve é uma garota um pouco reclusa e sem muitos amigos. Algumas de suas colegas fazem piadas sobre ela ou falam mal quando não está vendo. Em dado momento, uma das colegas que gostava de praticar bullying com ela, descobre sobre seu pai e seu cabelo, fazendo com que perceba o quanto estava errada em fazer isso, pois percebe que Nyneve tinha sua batalha própria e motivos para agir de tal forma.

A leitura da comic é rápida, pois ela foca muito em imagens, além de a história ser bem interessante, especialmente para quem gosta de histórias de magia.

Witchy foi indicado para o Ignatz por comic online de destaque, e em 2016 para o DINKy, na mesma categoria. Ela é toda em inglês e pode ser lida aqui


Compartilhe

Written by:

25 Posts

Apaixonada por livros de capa dura, filmes com bastante drama, histórias em quadrinho, jogos de estratégia e essas coisitas mais. Sempre começa a escrever mais textos do que é capaz de terminar. Formada em desenvolvimento de sistemas, fã de Tolkien e criadora do Dragões Encaixotados.
View All Posts
Follow Me :