[BERLINALE 2018] Mulheres ganham os principais prêmios no Festival de Berlim

[BERLINALE 2018] Mulheres ganham os principais prêmios no Festival de Berlim

Os filmes dirigidos por mulheres foram os grandes premiados da 68ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim. Quase todas as principais categorias na Berlinale 2018 foram ganhas por diretoras, dentre eles um filme brasileiro:

  • Urso de Ouro de longa-metragem para Touch Me Not de Adina Pintilie (que também ganhou GWFF Best First Feature Award – prêmio de melhor filme de estreia).

  • Urso de Prata de Grande Prêmio do Júri em longa-metragem para Mug de Malgorzata Szumowska.

  • Urso de Prata de Contribuição Artística pelo figurino e desenho de produção para Elena Okopnaya por Dovlatov.

  • Melhor Atriz para Ana Brun por Las Herederas de Marcelo Martinessi.

  • Teddy Award na categoria documentário para o brasileiro Bixa Travesty de Claudia Priscilla e Kiko Goifman.

  • Teddy Awards Prêmio Especial do Júri para o documentário Obscuro Barroco de Evangelia Kranioti.

  • Glashutte Original de Melhor Documentário para The Waldheim Waltz de Ruth Beckermann.

  • Urso de Ouro de melhor curta-metragem para The Men Behind the Wall de Ines Moldavsky.

  • Prêmio Audi de Melhor curta-metragem para Solar Walking de Réka Bucsi.

Festival de Berlim
Inês Moldavsky, vencedora do Urso de Ouro de melhor curta-metragem por “The Men Behind the Wall”.
Festival de Berlim
Réka Bucsi, vencedora do Prêmio Audi de Melhor curta-metragem por “Solar Walking”.
Festival de Berlim
Adina Pintilie, vencedora do Urso de Ouro de longa-metragem por “Touch Me Not”.
Festival de Berlim
Ruth Beckermann, vencedora do Glashutte Original Melhor Documentário por “The Waldheim Waltz”.

Além disso, pela primeira vez o Brasil saiu desse Festival com 7 prêmios. Além do prêmio principal para documentários de temática LGBTQ (Teddy Award), levou também as seguintes estatuetas:

  • Teddy Award de melhor longa-metragem de ficção: Tinta Bruta de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon.

  • Prêmio FIPRESCI para Las Herederas de Marcelo Martinessi, que, apesar de ser Paraguaio, possui coprodução internacional com o Brasil — coprodução com Julia Murat.

  • Prêmio Readers da Publicação Männer Magazine entregue dentro do Teddy Awards para Las Herederas.

  • Prêmio da Anistia Internacional na Berlinale para Aeroporto Central de Karim Ainouz.

  • Prêmio CICAE para Tinta Bruta de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon (CICAE: Confederação dos Cinemas de Arte Europeu. Os membros são os exibidores, donos dos cinemas de arte. São centenas de salas de cinema em 27 países). É um prêmio importante para a comercialização do filme na Europa).

  • 3° lugar no Prêmio de Público da Mostra Panorama Docs para O Processo de Maria Augusta Ramos.

  • Menção especial em documentários para Ex-Pajé de Luiz Bolognesi.

Maria Augusta Ramos, diretora do filme “O Processo”, que retrata os bastidores do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Autora:

120 textos

Aquariana, mora no Rio de Janeiro, graduada em Ciências Sociais e em Direito, com mestrado em Sociologia e Antropologia pelo PPGSA/UFRJ, curadora do Cineclube Delas, colaboradora do Podcast Feito por Elas, integrante da #partidA e das Elviras - Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema. Obcecada por filmes e livros, ainda consegue ver séries de TV e peças teatrais nas horas vagas.
Todos os textos
Follow Me :