Enxame: o desconforto satírico na nova série de terror do Prime Video

Enxame: o desconforto satírico na nova série de terror do Prime Video

“Essa não é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com pessoas e eventos reais é intencional.” Assim abrem os sete episódios da série Enxame (Swarm). Dirigida por Donald Glover, Adamma Ebo, Ibra Ake e Stephen GloverEnxame é uma série de terror satírico que se compromete com o desconforto desde o primeiro quadro.

Dre (Dominique Fishback) é uma jovem obcecada por Ni’jah e fiel seguidora do enxame – conexão clara e intencional com Beyoncé e sua colmeia. O primeiro episódio se passa durante o lançamento do álbum Festival, o equivalente satírico de Lemonade. Seguindo próximo dos eventos reais do casal Knowles-Carter, Ni’jah fala da traição de seu marido e rapper Caché nas músicas do álbum.

Os eventos que cercam a personagem principal, apesar do texto inicial dos episódios, são ficcionais. O estopim da história – o suicídio de uma personagem –  é baseado em uma “lenda urbana” da internet, na qual uma mulher chamada Marissa Jackson teria se matado ao som de Lemonade. Em cima dessa história e de eventos reais nos Estados Unidos entre 2016 e 2018, se desenrola Enxame.

Enxame: estamos falando sobre fandom?

Dre é a protagonista e um eterno mistério, do primeiro ao último episódio. Administradora de uma fan account de Twitter dedicada ao Enxame e obcecada por Ni’jah, a jovem só tem duas conexões profundas além da cantora: com a irmã e, mais tarde na série, com um interesse amoroso.

O primeiro episódio começa estabelecendo o cenário: Dre não tem dinheiro, mas está disposta a gastar o que não tem para assistir a um show da cantora. Essa relação financeira do fandom é presente durante toda a série, um contraste entre a realidade dos fãs e o custo astronômico de vivenciar e prestigiar os ídolos. A vida perfeita e fetichizada dos artistas, e o exército de pessoas – perdidas, sem os mesmos privilégios – dispostas a defendê-los.

Sabemos que Dre tem uma origem complicada. Ela não tem dinheiro, está de luto, além de ser uma fã obcecada. Essas peças vão se encaixando com mais ou menos clareza enquanto ela se distancia da realidade e vai perdendo o pudor para cometer crimes em nome do Enxame. “Qual é o seu artista favorito?, ela pergunta repetidas vezes durante a série.

A relação de fã é o motor principal da história, mas os cenários pintados ao redor do tema são o que dão cor à trama. As relações financeiras, o luto, uma realidade que é cruel e desinteressante, mas vale a pena – porque existe Ni’jah, e ela é de fato especial. Ela merece o amor do Enxame.

Fishback e o vazio encarando de volta

A atriz Dominique Fishback já atuou em filmes como Judas e o Messias Negro (2021), dando vida a papéis completamente diferentes de Dre. Dominique é o que segura a série, interpretando a protagonista com um misto de angústia, êxtase e vazio. Com a série 100% voltada para a personagem, dificilmente a execução teria sucesso sem uma presença forte no elenco. Do início ao fim, o tesouro indiscutível do Enxame é sua atuação.

Muito disso é porque Dre é uma personagem complexa, e não segue o caminho tradicional. A história não revela as vulnerabilidades e passado do personagem de forma explícita para ganhar simpatia ou, pelo menos, perdão do público. Tudo sobre Dre é implícito, complicado, indireto. Fishback incorpora essas nuances e se torna um abismo. Depois de sete episódios encarando a protagonista do Enxame, o vazio nos encara de volta.

Domenique Fishback como Dre, em um quarto que parece um sótão, cheio de caixas e objetos. Ela está no meio do quadro, de frente para a câmera, encarando um ponto além.
Imagem: Reprodução | Dre (Dominique Fishback) no seu quarto de infância.

Se sentir confortável para uma viagem pelo desconforto

A direção de arte, roteiro e a atuação de Fishback tem como principal objetivo o desconforto. Os eventos se desenrolam de forma objetiva, mas compreender a motivação por trás deles e seguir com uma protagonista que desafia a empatia o tempo todo é uma experiência complexa.

Os episódios curtos, de menos de 40 minutos, tem nomes simples (Picada, ou Sabor, ou Mel) que progressivamente ficam mais complexos, encerrando no sétimo episódio, Apenas Deus faz finais felizes. As sinopses são ácidas e irônicas – Dre planeja uma surpresa de aniversário para a irmã, Dre faz uma viagem, Dre faz amizade com algumas meninas brancas. Essa última sinopse é do quarto episódio, que conta com a ilustre presença de Billie Eilish. A cantora tem um papel central nessa etapa da história, baseado em uma pessoa real, e faz uma ótima atuação no seu papel de estreia.

Billie Eilish encarando alguém além-câmera em cena da série Enxame.
Eva (Billie Eilish), personagem central do quarto episódio.

A trama de Swarm é onírica, com a sensação de um sonho ruim e difícil de esquecer. Para bem e para mal, é uma história que não prioriza convidar para a reflexão linear e tradicional, mas sim causar sensações fortes e gerar um impacto que dura por muito tempo depois da TV desligada.

Em termos de roteiro, o fim da história é ambíguo e teve uma recepção mista do público. Ainda assim, a jornada de Dre e a avalanche de sensações do começo ao fim já compensam assistir a série. A proposta acerta ao produzir um terror que experimenta, casando humor ácido com um tom satírico e aflitivo. 

Enxame está disponível no Prime Video.

Escrito por:

15 Textos

Bia é formada em economia, pesquisadora e escritora. Obcecada por internet e cultura, gosta de escrever para entender o mundo. É leitora assídua de todo tipo de ficção, ama debater filmes e faz perguntas sobre quase tudo - pelo prazer de buscar a resposta.
Veja todos os textos
Follow Me :