[SÉRIES] “The Lizzie Bennet Diaries”: Orgulho, Preconceito e Youtube!

[SÉRIES] “The Lizzie Bennet Diaries”: Orgulho, Preconceito e Youtube!

Quantas adaptações de obras de Jane Austen você já assistiu? Respondemos: não o bastante. A heroína mais amada de Austen, Elizabeth Bennet – que sutilmente questionou as convenções sociais de uma Inglaterra do século XIX – já foi adaptada em filmes, séries, romances modernos, musical de Bollywood e websérie. “The Lizzie Bennet Diaries” não é uma adaptação tão nova, mas se você não viu ainda, recomendamos que repare essa falta imediatamente! 

Criada em 2012 por Hank Green (empresário, músico, produtor, professor, vlogueiro e irmão de John Green *respira*) e Bernie Su (roteirista, diretor e produtor), “The Lizzie Bennet Diaries” é um canal de vlogs no YouTube que Lizzie criou para servir como objeto de estudo para sua pós-graduação em Comunicação, onde conta sobre o cotidiano da família Bennet. Ela grava diretamente de seu quarto, que é invadido de vez em quando por suas 2 irmãs, Jane e Lydia, e tem a companhia de Charlotte Lu, sua melhor amiga, um talento nato do audiovisual, que edita os vídeos e faz upload no YouTube (basta ativar as legendas pra ver em português).

Lizzie começa o canal falando sobre como sua mãe parece viver em outro século, por causa da obsessão em casar suas filhas. Como os vlogs são basicamente monólogos, Lizzie imita diálogos engraçados usando fantasias e adereços para representar seus pais e outros personagens. Jane é a pessoa mas doce da face da Terra, procurando ser positiva em qualquer situação e nunca pensando mal de ninguém, além de trabalhar com moda, começando bem de baixo. Lydia tem 20 anos, estuda numa universidade comunitária e gosta de festa, bebida e mais festa.

“The Lizzie Bennet Diaries” foi muito bem construída. É notável o cuidado em como criaram soluções para adaptar “Orgulho e Preconceito” à atualidade sem fugir da história original. Normalmente, adaptações atuais podem não atrair tanto, mas assistindo a “The Lizzie Bennet Diaries” vemos que que elas acabam dando mais atenção ao romance, não conversando muito profundamente com o nosso tempo. Veja bem, o romance é muito importante na narrativa de Jane Austen, mas trazê-lo tal e qual para hoje não é muito lá muito subversivo, ou pelo menos questionador, como foi para a época. Fora o contexto de guerras, revolução, vigilância estatal e censura que Jane Austen inclui nos seus livros com uma sutileza e maestria que quase passam batidos. E é justamente aí onde está a genialidade de Austen, não é mesmo?!

The Lizzie Bennet Diaries
Lizzie e Charlotte apresentam… Sra. Bennet e Sr. Bennet!

A força do pensamento e opiniões da Lizzie de Austen se perdem já no século XX, que dirá hoje! Mas “The Lizzie Bennet Diaries”  parece ter feito as perguntas certas. Como seriam as convicções de Lizzie hoje? O que ela pensa sobre sua família e principalmente sobre suas irmãs? Quais seriam as preocupações de um jovem adulto de hoje que poderiam fazer Charlotte tomar uma decisão decepcionante para Lizzie? Por que Lydia sairia de casa por um homem? Onde estão de verdade os problemas do nosso tempo?

E então nós conhecemos todo esse cenário através do olhar “orgulhoso e preconceituoso” de Lizzie Bennet. Na obra original de Austen nós acreditamos de certa forma conhecermos as outras personagens como realmente são, julgando as fraquezas de Charlotte ou o quanto Lydia é desprezível e fútil, quando na verdade só temos uma visão pouco desenvolvida apresentada pela autora, que escolheu em quase todos os livros focar apenas na protagonista. Enquanto na websérie esse olhar é totalmente pessoal de Lizzie, muitas vezes entrando em conflito com as opiniões das outras personagens. Em vários momentos é possível sentir muita raiva de Lizzie. 

The Lizzie Bennet Diaries

A visão preconceituosa de Lizzie vai muito além do julgamento com relação à Darcy e Wickham, nesse caso. A irmã mais nova, Lydia, é apresentada como uma “periguete” por Lizzie, e todo o conceito que ela tem da irmãzinha baladeira é muito influente no desenvolvimento da trama. A senhora Bennet continua conservadora, acreditando que o futuro das filhas só pode ser promissor se casarem com homens ricos, mas mesmo a descrevendo como uma megera louca, Lizzie é obrigada por Jane e Charlotte a se retratar, admitindo que a mãe é uma mulher muito protetora e carinhosa, que só quer o bem das 3 filhas.

Além desse olhar sobre a mente precipitada de Lizzie, a websérie traz mais soluções geniais! Apesar de quase só falar no relacionamento amoroso de Jane e Bing Lee, de vez em quando Lizzie menciona suas reais preocupações no dia a dia, como o semestre da faculdade, provas e futuro profissional. Para ela, é muito importante ir atrás de realizar os próprios sonhos e esperar que Charlotte faça o mesmo, nem que para isso espere muito pela proposta de emprego “certa”, já que vê na melhor amiga uma futura grande diretora da indústria cinematográfica. Já Charlotte tem os pés muito no chão, considerando sempre a preocupação com a situação financeira da família e sua vontade de conseguir um emprego rápido. Ou seja, todo o plot da questão “casamento” entre Lizzie e Charlotte se transformou na questão “carreira profissional”. Yes!!!

The Lizzie Bennet Diaries
Opa, mas que proposta é essa, Sr. Collins?

Os roteiristas ainda souberam aproveitar todos os personagens. Imagine uma família de classe média, hoje, com 5 filhas! Nada comum, né? Mas não temam! Kitty Bennet virou a gatinha de Lydia, que a segue pra todo lado e tem seu próprio perfil no Twitter – nhoin! E Mary Bennet é a prima emo e mau humorada que ajuda Lydia nos estudos e cede o quarto quando a família Bennet precisa de abrigo. Fora muitas outras soluções pra cada detalhe da história original.

Lydia Bennet [COM SPOILER até o próximo tópico]

Interpretada de forma impressionante por Mary Kate Wiles, Lydia é cativante, animada, extrovertida e ama as irmãs, apesar de não parecer nada com elas. Quando está separada de Jane e Lizzie, ela cria o próprio canal no YouTube, que vira um complemento ao diário de Lizzie. É nesse canal que vamos ver todo o desenvolvimento do relacionamento dela com Wickham.

The Lizzie Bennet Diaries

Aqui os roteiristas fizeram a adaptação mais forte da websérie, quando transformam a fuga de Lydia e Wickham num lento e assustador relacionamento abusivo. Sentindo-se abandonada pelas irmãs, depois de um desentendimento com Mary e uma briga feia com Lizzie sobre estudos e responsabilidades, Lydia é “resgatada” por um Wickham charmoso e carinhoso, que a leva pra casa e fica ao seu lado quando ela mais precisa. O aspecto de Lydia vai visivelmente mudando. Mesmo enquanto os diálogos com Wickham ainda não chegaram a pontos mais decisivos, a garota já está ficando pálida e estranha. Como é triste de ver!

The Lizzie Bennet Diaries

Essa espécie de spin-off ainda traz uma curiosidade para os mais atentos. A conta de Lydia no YouTube tem, em ordem cronológica os vídeos que ela favoritou do canal da irmã do meio. Mas o episódio em quem Lizzie a chama de “stupid whore-y slut“, ou “periguete” como na legenda em português, só foi favoritado por Lydia na semana de seu último vídeo, quando seu relacionamento abusivo já chegou a um ponto quase irreversível, demonstrando o auge do seu processo de auto depreciação. E além disso há vários vídeos de músicas sobre relacionamentos disfuncionais na lista de “gostei” do canal.

The Lizzie Bennet Diaries: Interatividade e prêmios!

O sucesso da websérie foi rápido e muito positivo. E como todo bom canal de vlogs, Lizzie também tem sua playlist de “perguntas e respostas”, onde ela atende ao clamor geral e responde perguntas de inscritos.

Nessas respostas Lizzie faz muitas referências ao livro, dizendo que se pudesse voltaria no tempo, tem uma curiosidade muito especial com a Inglaterra Vitoriana e mostra um pouco de sua coleção de livros. Ela fez até o sorteio de uma bolsa que ganhou de Caroline Lee e não gostou com os inscritos.

Além dessa interação digital, Lizzie ainda anunciou sua participação na VidCon, convenção de YouTubers muito famosa nos Estados Unidos. Lá ela pôde interagir com os fãs do canal sem sair da personagem, fazer vlogs no evento e tietar Hank Green. 

E não podemos deixar de citar que quase todos os personagens tem perfil no Facebook e Twitter, e várias postagens são citadas nos vlogs, como o polêmico tweet da partida de Bing Lee para longe da família Bennet, sem despedida.

The Lizzie Bennet Diaries
“Que bom estar de volta a Los Angeles depois de longas férias de inverno”. O que será que Jane tem a dizer sobre isso?

E Jane também mantinha um lookbook para referências na sua tão suada carreira de moda, no Tumblr e Pinterest.

“The Lizzie Bennet Diaries” ainda ganhou vários prêmios merecidíssimos, incluindo um Emmy de Programa Original de Mídia Interativa e outros prêmios de melhor atuação, roteiro e série dramática.

A produtora Pemberley Digital (qualquer semelhança não é mera coincidência) também adaptou Emma para o mesmo formato e continua trabalhando em mais adaptações para websérie. Vale a pena acompanhar os trabalhos deles, principalmente quem é fã de mídia interativa, como o YouTube.

E pra quem tá achando pouco, existem ainda livros e audiobooks lançados de “The Lizzie Bennet Diaries” e Lydia Bennet, com as vozes das atrizes.

The Lizzie Bennet Diaries
Mais segredos, Lizzie?!

Se você não conhece “The Lizzie Bennet Diaries”, já tem uma ótima dica pra acrescentar na maratona de adaptações para os 200 anos de despedida de Jane Austen, que vai ser logo mais em julho. VEJA AQUI!

Escrito por:

39 textos

Bagunceira e bagunçada, por dentro e por fora. Prefere ver séries em maratonas, menos Game of Thrones, porque detesta spoiler. Totalmente apaixonada por desenho e animação. Tem mania de citar filmes em conversas, conselhos, brigas ou onde couber uma referência. Prefere gastar dinheiro com quadrinhos do que com comida, sendo muito entusiasta do quadrinho nacional e graphic novels em geral. Formada em Jornalismo, mas queria mesmo trabalhar com roteiro e ilustração.
Veja todos os textos
Follow Me :