[LIVROS] Wonder Women: 25 mulheres incríveis ignoradas pela história

[LIVROS] Wonder Women: 25 mulheres incríveis ignoradas pela história

“A história é escrita pelos vencedores”. A frase já tão ouvida por aí nada tem de mentira. Os livros de história contam apenas uma versão da história, aquela oficializada pelos grupos dominantes. Todavia, o caráter ordinário dessa frase faz com que muitas pessoas ainda ignorem as histórias que ficaram ocultas, em uma alienação histórica e social. Isto não significa que não se possa correr atrás das versões deixadas à margem. Wonder Women – 25 Mulheres Inovadoras, Inventoras e Pioneiras que Fizeram a Diferença vem justamente fazer isto.

Publicado pela Primavera Editorial, Wonder Women possui ideia semelhante à da obra Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes – com o qual compartilha algumas das personagens apresentadas. Traz, assim, histórias de grandes mulheres e seus feitos. A principal diferença está na profundidade com que explora as personagens históricas. Não somente os relatos são mais ricos em detalhes, como o livro traz entrevistas com mulheres que ainda fazem a diferença na atualidade, cujos nomes não aparecem na mídia constantemente.

Escrito por Sam Maggs, uma escritora norte-americana geek e feminista, e ilustrado por Sophia Foster-Dimino, ilustradora e cartunista também norte-americana, Wonder Women reúne nomes, muitas vezes desconhecidos, sobre mulheres que se destacaram no campo da ciência, inovação e tecnologia, sobretudo. A intenção não é ignorar os feitos femininos nas áreas das ciências humanas, mas dar destaque à atuação das mulheres em um campo considerado majoritariamente masculino.

De acordo com a escritora, desde o século XVIII, apenas 5% das patentes nos Estados Unidos foram concedidas em nomes de mulheres. Isto demonstra a incapacidade feminina de criar? Embora alguns ainda teimem em alegar que os registros mais ocultos da história revelam que as mulheres não eram creditadas em invenções ou descobertas, por razões diversas da incapacidade. Na verdade, muitas mulheres, se não foram as protagonistas das inovações, foram importantes contribuidoras no processo. Apenas não se viu interesse em deixar seus nomes no legado da história humana.

Apesar de escrito por uma norte-americana branca, Wonder Women faz uma tentativa de trazer histórias diversas. Por óbvio, não apresenta a voz das minorias de forma direta, mas também não as ignora por completo. Há personalidades negras, orientais, homossexuais e transexuais. Não obstante, das entrevistas apresentadas ao final de cada capítulo, a maior parte é de mulheres pertencentes a esses grupos, o que se descobre ao ler quais as maiores dificuldades que elas enfrentaram no meio.

O livro é dividido em cinco capítulos, quais sejam: Mulheres da Ciência, Mulheres da Medicina, Mulheres da Espionagem, Mulheres da Inovação e Mulheres da Aventura. Cada qual, conta com a história de cinco mulheres diferentes da área. Temos uma menção, breve história de outros nomes de destaque, e uma entrevista. Através de uma linguagem atual e divertida, quase como uma conversa com direito a comentários sarcásticos, a leitora é conduzida a essas histórias não contadas, que incluem nomes como o da física nuclear Lise Meitner; das médicas e fundadoras de hospitais Elizabeth e Emily Blackwell; da espiã Mary Bowser; da inventora e advogada Miriam Benjamin; e da botânica Ynes Méxia.

Publicidade

A riqueza do livro consiste em sua capacidade de apresentar esta pesquisa biográfica – cujas fontes são citadas ao final – através de uma leitura fácil e instigante. Conforme se avança na leitura, aumenta o desejo de conhecer mais sobre essas mulheres e suas experiências. Muitas delas participaram de descobertas sobre as quais se ouvem falar, mas seus nomes foram ignorados. Outras tantas tiveram grandes feitos que foram ignorados quase completamente.

O mito de que as mulheres não foram historicamente atuantes é aos poucos desconstruído. A opressão nunca impediu por completo que o gênero feminino exercesse sua capacidade de ser. Enfrentaram proibições, violências, preconceitos, restrição de recursos, e fizeram mais pelo mundo. As mulheres lutaram e ainda lutam. Todavia, precisam lutar ainda mais arduamente que os homens para alcançar o mesmo reconhecimento, quando todos deveriam ter as mesmas chances e os mesmos direitos de ter seus nomes em livros de história. E por isso, ainda é preciso lutar!


Wonder Woman – 25 Mulheres Inovadoras, Inventoras e Pioneiras que Fizeram a Diferença – Volume 1

Autora: Sam Maggs

240 páginas

Editora: Primavera Editorial

Este livro foi cedido pela editora para resenha

Onde Comprar: Amazon
Publicidade

Escrito por:

136 textos

Mestra em Teoria e História do Direito e redatora de conteúdo jurídico. Escritora de gaveta. Feminista. Sarcástica por natureza. Crítica por educação. Amante de livros, filmes, séries e tudo o que possa ser convertido em uma grande análise e reflexão.
Veja todos os textos
Follow Me :