A Menina do Outro Lado vol. 2: simbologias para além da obra

A Menina do Outro Lado vol. 2: simbologias para além da obra

Compartilhe
  • 2
    Shares

O primeiro volume de “A Menina do Outro Lado“, lançado este ano pela editora DarkSide Books, encantou diversas leitoras e leitores através do texto e da arte minimalista de Nagabe, repletos de significados e discussões pertinentes ao nosso cotidiano. Na continuação da saga da garotinha Shiva e de seu mentor Sensei, acompanhamos o desenrolar da delicada e sombria trama que versa sobre intolerância e o medo que se tem o outro.

[CONTÉM LEVES SPOILERS DO VOLUME 1 DO MANGÁ]

1. A história de “A Menina do Outro Lado”

Shiva e Sensei são personagens que diferem um do outro apenas na aparência: ela, uma humana, precisa dos cuidados de Sensei, uma criatura animalesca e de enorme coração, por ainda ser criança. Os dois vivem isolados do chamado Mundo de Dentro, um reino cercado por muralhas que não faz contato com o mundo exterior por temer a maldição que, há milênios, em uma luta entre o Deus da Luz e o Deus das Trevas, condenou os seres das trevas a possuírem a mesma forma de Sensei e a vagarem sozinhos por toda a eternidade.

Se uma pessoa do mundo interior toca em um dos seres do exterior, automaticamente é amaldiçoada. O pavor toma conta daqueles que repassam a tradição, sem ao menos refletir se as condutas que tomam em nome do medo são corretas. Shiva é a única pessoa a encarar o desconhecido, em toda a sua forma aterradora, como algo normal; ela enxerga além das aparências e, com isso, nos ensina sobre respeito, tolerância e amor.

Sensei cuida da garota com muita preocupação e zelo e sua masculinidade é branda e cativante (ele cuida da casa e de Shiva com muita paciência e tem postura séria quando necessário, sem ser autoritário com a menina – afinal, ela ainda tem muito o que descobrir sobre como sobreviver, ainda mais em um mundo hostil). Os dois moram em uma casinha isolada na floresta e, algumas vezes, veem o que chamam de “forasteiros” passando pelas redondezas – ora soldados do Mundo de Dentro, ora criaturas parecidas com Sensei.

Leia também:
» [MANGÁ] A Menina do Outro Lado: uma fábula oriental sobre tolerância, acolhimento e pertencimento
» [QUADRINHOS] Refugiados: A resistência dos migrantes em um mundo adoecido
» [ANIMES/MANGÁS] Gintama: sororidade e opressão de gênero do Estado

2. Uma cena surpreendente (e apavorante)

Ao final do primeiro volume, após uma sequência de tirar o fôlego, em que Sensei precisa proteger Shiva dos guardas da realeza, vemos Shiva, já em segurança, ser abordada por uma criatura animalesca dentro de sua própria casa, e o pior: ser tocada por ela. Sensei enlouquece ao presenciar a cena, apavorado com a ideia de que a menina possa vir a ser amaldiçoada, e é neste exato momento que a sequência de “A Menina do Outro Lado” começa.

Descobre-se, então, que existem mais criaturas iguais a Sensei habitando um canto ermo da floresta. Os novos e misteriosos personagens querem a qualquer custo a alma de Shiva, mas será que Sensei estará disposto a travar uma batalha contra sua própria espécie?

3. Uma mitologia abrangente

No início de “A Menina do Outro Lado“, leitoras e leitores são introduzidos à lenda do Deus da Luz e do Deus das Trevas; no segundo volume, a mitologia se mantém e somos apresentados à figura misteriosa da mãe, um ser que vive nas profundezas de um lago e ainda não tem sua forma revelada, comunicando-se com seus filhos através de um som que Sensei define como uma canção. Ela tem toda a devoção das criaturas das trevas e, além disto, clama almas em seu nome. Aos poucos vamos descobrindo mais sobre a origem de Sensei e das criaturas amaldiçoadas. Será interessantíssimo ver o outro lado da mitologia da série, uma vez que acabamos estabelecendo um juízo de valor pelo o que fora mencionado pelos habitantes da fortaleza.

Sensei encontra "a mãe" dos seres amaldiçoados
Sensei encontra “a mãe” dos seres amaldiçoados (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)
Sensei e as criaturas das trevas
Sensei e as criaturas das trevas (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)

4. As simbologias em “A Menina do Outro Lado”

Além de irmos um pouco mais a fundo na origem das criaturas, fica subentendido que Shiva, nome do deus hindu da destruição e regeneração, também tem um passado cujas raízes são importantes para compreensão de toda a mitologia que envolve o mangá. Ao olhar-se no lago em que mora a mãe das criaturas sombrias, Shiva vê seu reflexo nas águas calmas e acolhedoras, o que em um jogo imagético pode determinar sua conexão com o local ou com a própria criatura. Outra leitura possível é a de que Shiva necessita de mais alguém em quem se espelhar, uma figura feminina como a da própria tia que tanto sonha em reencontrar, algo tão importante para entender seu passado e restabelecer as possíveis certezas de seu futuro.

Menina do Outro Lado
Shiva e seu reflexo nas águas (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)

A intolerância das pessoas do reino segue imperativa e continua nos contando sobre desrespeito, perseguição e o medo que sentem e ao qual sujeitam as criaturas desconhecidas. Por mais que haja a disparidade entre luz e sombras, bem e mal, o segundo volume consegue, aos poucos, revirar a psiquê das personagens e trabalhar as diversas simbologias de modo que tudo o que fora visto no primeiro volume transcenda e dê corpo a novos significados e perspectivas. É interessante perceber o poder que determinadas obras possuem de irem além de seu propósito de entretenimento e, por consequência, passarem uma mensagem fiel acerca do mundo e de nós mesmas – “A Menina do Outro Lado“, com toda certeza, é uma delas.

5. Uma edição primorosa

Seguindo o padrão DarkSide Books de qualidade (que tanto amamos!), o segundo volume da obra possui capa dura, título envernizado, miolo em preto e branco e algumas cenas extras ao final. O traço de Nagabe, extremamente minimalista, continua contando sua história muito além das palavras, nos permitindo diversas interpretações sobre os aspectos gráficos ali presentes.

Menina do Outro Lado
Capa de “A Menina do Outro Lado volume 2” (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)
Menina do Outro Lado
Detalhes da contracapa de “A Menina do Outro Lado volume 2” (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)
Menina do Outro Lado
Shiva e Sensei (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)
A arte minimalista de Nagabe em "A Menina do Outro Lado"
A arte minimalista de Nagabe (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)
Sensei e Shiva, em A Menina do Outro Lado
Sensei e Shiva (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)
Menina do Outro Lado
A mãe dos amaldiçoados canta (Foto: Laís Fernandes/Delirium Nerd)

***

Por fim, “A Menina do Outro Lado – volume 2” segue repleto de criatividade e relevância narrativa. Nele, a mitologia se expande, perguntas que perduravam são respondidas e outras, ainda, sobrevivem no cerne da narrativa dicotômica do mestre Nagabe (qualidades que nos permitem ansiar pelos demais volumes da coleção).


A Menina do Outro Lado (volume 2)

Autor: Nagabe

Tradutora: Renata Garcia

DarkSide Books

175 páginas

Compre aqui: Amazon – Loja da Darkside

O Delirium Nerd é integrante do programa de associados da Amazon e do Lomadee. Comprando através de qualquer um dos links acima, ganhamos uma pequena comissão e você ainda ajuda a manter o site no ar, além de ganhar nossa eterna gratidão por apoiar o nosso trabalho!


Edição realizada por Gabriela Prado e revisão por Isabelle Simões.


Compartilhe
  • 2
    Shares

Autora

86 Posts

É estudante de Letras e fã incondicional de Neil Gaiman – e, parafraseando o que o próprio autor escreveu em O Oceano no Fim do Caminho, “vive nos livros mais do que em qualquer outro lugar”.
Veja todos os textos
Follow Me :