Your Name: somos capazes de controlar nossos destinos?

Your Name: somos capazes de controlar nossos destinos?

Já podemos começar essa crítica com a prévia: não é à toa que Your Name (Kimi No Na Wa) foi o filme japonês de maior arrecadação na história da China, e quebrou recordes no seu fim de semana de estreia nos EUA, onde o público é, historicamente, resistente a entretenimento não norte-americano. Para fãs de animes, porém, a surpresa não foi tão grande, já que os desenhos orientais – especificamente os japoneses – há anos vêm trazendo tanto visuais magníficos quanto mensagens e histórias arrebatadoras, com especial menção às obras de Makoto Shinkai, diretor do filme em questão.

Logo ao começarmos a assistir a Your Name, nos deparamos com uma história fantástica, em que o folclore e as lendas, tipicamente exploradas em animes, se misturam ao caráter cotidiano e comum das pessoas. Característica que é mostrada, brevemente, na sinopse:

“Mitsuha Miyamizu (Mone Kamishiraishi) é uma jovem que mora no interior do Japão e que deseja deixar sua pequena cidade para trás para tentar a sorte em Tóquio. Enquanto isso, Taki Tachibana (Ryûnosuke Kamiki), um jovem que trabalha em um restaurante italiano em Tóquio, deseja largar o seu emprego para tentar se tornar um arquiteto. Os dois não se conhecem, mas estão direta e misteriosamente conectados pelas imagens de seus sonhos.”

Your Name

A união entre esses jovens é o mistério que move o filme, em que a conexão que os mesmos possuem, sem nenhum motivo aparente, faz com que eles consigam trocar de corpos – um tipo de Se Eu Fosse Você japonês – que é feito diversas vezes durante o primeiro arco, de forma completamente involuntária aos dois protagonistas.

Além do óbvio elemento místico presente, ao acompanharmos como Taki e Mitsuha lidam com a mudança crônica de corpos, percebe-se, principalmente, o elemento cômico da história. Se a própria noção de troca de corpos por si só já é curiosa, assistir a como dois adolescentes de sexos opostos lidam com isso e como eles tentam se adequar a vida de cada um sem levantar muitas suspeitas, é extremamente divertido. Essa parcela comum da história, porém, é cada vez mais perturbada pelo mistério presente na narrativa:

Por que e como eles trocam de corpos?

Your Name

Ao longo de Your Name há a construção desse mistério, assim como a evolução do relacionamento dos protagonistas. Ao se verem forçados a conviver – mesmo que indiretamente – Mitsuha e Taki formam uma forte ligação, que consegue, inclusive, mudar o passado. Essa mudança, altera também, e logicamente, o futuro dos personagens, mas, logo percebemos, que a forte ligação entre eles permanece de tal forma que cria o clímax principal do filme, estabelecendo uma conexão passado-presente-futuro que, mesmo que por menos de 30% da duração do anime, nos marca eternamente.

Your Name

É impossível assistir a uma história desse tipo, com tantos ensinamentos e misticismo, e não nos lembrarmos dos clássicos instantâneos do Studio Gihbli, porém é bom ver que cada vez mais estúdios e desenhistas japoneses estão se destacando por suas histórias e atingindo a públicos não orientais. Além disso, as ilustrações  de Makoto Shinkai são, sem surpresas, excelentes e os efeitos empregados nos eventos celestes e naturais presentes no filme nos parecem reais.

Your Name

E mais, a pura emoção que os personagens, principais ou não, conseguem nos passar é palpável. Os conflitos familiares, as relações amorosas ou mesmo a própria história – e relação – de Mitsuha e Taki nos envolve de tal forma que é impossível sairmos até terminarmos a história, isso considerando a tristeza, a agonia e até a raiva que as situações apresentadas nos fazem passar.

Your Name

Leia também:
>> O curta futurista “Vozes de Uma Estrela Distante”, de Makoto Shinkai
>> Netflix traz obras de Makoto Shinkai no catálogo
>> Muito além da Ghibli: As animações de Makoto Shinkai

Começamos a ver Your Name / Kimi No Na Wa pensando que será um simples e fácil entretenimento para passarmos as horas livres, mas nos deparamos com um filme repleto de ensinamentos valiosos e uma animação de tirar o fôlego, capazes de emocionar até aqueles mais insensíveis. Relacionando-se a antiga lenda japonesa do “akoi ito”, ou seja, do fio vermelho que une o destino de duas pessoas, o anime trás tanto romance e mistério quanto ensinamentos valiosos sobre a vida através dos personagens, com a (quase) condição do encontro deles estar ligada ao fato de um saber o nome do outro.

Your Name
Durante o filme não deixamos de nos perguntar se o controle de nosso próprio destino está em nossas mãos, porém ao final da história ousamos pensar que, pelo menos, temos a chance de mudar algumas coisas, tendo alguma esperança de que tudo não é incontrolável.

Afinal, se os personagens tentaram, porque nós não?

Escrito por:

102 Textos

Todos os textos
Follow Me :