[ARTE] Artistas de rua femininas que arrasam mundo afora

[ARTE] Artistas de rua femininas que arrasam mundo afora

Compartilhe

Street Art e Grafitti são somente para homens? Claro que não! Há mulheres incríveis de muito talento, espalhadas pelo planeta, como você verá a seguir.

Indie 184 — De Nova York, a Indie 184 começou a dar seus primeiros passos no grafitti em 2001. Seu estilo de grafitti é feminino clássico, voltado para o mundo jovem e alegre com cores expressivas e exuberantes. Uma de suas principais características é que muitas de suas obras há a presença de imagens e mensagens juntas. Além de Nova York, a artista também já deixou sua marca em Oslo, Noruega.

Miss Van — Natural de Toulose, na França, Miss Van começou a pintar na parede aos 20 anos, em 1993, iniciando o movimento feminino na arte de rua. Ela é conhecida por seus personagens femininos reconhecíveis instantaneamente, chamados poupées. Um desses trabalhos está no bairro de Poblenou, na diversificada Barcelona.

Faith47 — É uma artista de rua sul-africana com mais de 17 anos de trabalhos feitos mundo afora. O estilo e a energia de seu trabalho são claramente reconhecíveis e são incorporados à textura do ambiente urbano.

Eu sempre pretendo criar uma imagem que ataca um diálogo com o espaço à sua volta, há um certo humor que cada edifício tem, uma certa história. Eu quero ler isso e adicioná-lo de alguma forma. Eu gosto de minhas pinturas para parecer ter estado lá para sempre e integrar-se dentro, em vez de sentar-se fora do ambiente”, comentou Faith47, sobre seu estilo de arte.

Christina Angelina (Starfighter) — Galerista com sede em Veneza, ela também é grande artista de rua, fotógrafa e produtora. Seu objetivo é encontrar os momentos temporais e brutos que definem uma vida e, em seguida, colocar todos os detalhes e nuances em uma imagem. Além da versatilidade, ela se destaca por ter uma visão de arte diferenciada, que faz do seu universo artístico um lindo lugar para visitar e experimentar.

Lady Pink — Equatoriana de nascimento e criada em Nova York, Lady Pink é uma das percursoras do movimento de arte feminina. Ela começou seus primeiros trabalhos no final da década 1970, nos metrôs de Nova York.

Quando comecei, as mulheres ainda tentavam provar a si mesmas, nos anos 70, que as mulheres poderiam fazer tudo o que os homens podiam fazer. Quanto mais eles disseram ‘você não pode fazer isso’, mais eu tive que provar que estavam errados”, disse Lady Pink.

https://www.youtube.com/watch?v=0PDujP0oXOU

MadC — Grande artista de rua alemã, ela tem trabalhos e projetos espalhados por vários cantos do planeta. Seu projeto de parede mais famoso é o 700 Wall – um muro de quase 700 metros quadrados grande que pintou sozinha durante todo o ano de 2010. Nesta parede, MadC contou a história de um escritor de graffiti em várias cenas e pintou seu nome mais de 100 vezes em diversas interpretações.

Vexta — É uma artista de rua autodidata de Sydney, Austrália. Suas obras de arte arrojadas e extravagantes que abordam temas como cosmologia, mitologia, invadiram a paisagem visual de Melbourne e foi parar no México.

Atualmente com sede em Brooklyn, Nova York, a artista divulga sua visão nos continentes e países, estúdios e ruas, equilibrando exposições, comissões e empreendimentos criativos. “Algumas jovens podem ver uma pintura ou algo que eu fiz e perceber que ela também pode fazer isso. Esse é um verdadeiro impacto tangível”, disse Vexta.

LEIA TAMBÉM:
[ENTREVISTA] Rachel Denti: Arte desajustada para pessoas desajustadas
[CATARSE] Você é feminista e não sabe: Entrevistas ilustradas para entender melhor o feminismo!
[FOTOGRAFIA] Mulheres na história da fotografia documental: Zanele Muholi

Compartilhe

Written by:

288 Posts

Fundadora e editora-chefe do Delirium Nerd. Revisora. Apaixonada por gatos, café, cinema do oriente médio, quadrinhos e animações japonesas. Ouve muito Harry Styles e cantoras melancólicas.
View All Posts
Follow Me :