Dicionário Agatha Christie de Venenos: uma carta de amor para a Dama do Crime

Dicionário Agatha Christie de Venenos: uma carta de amor para a Dama do Crime

Agatha Christie, mais conhecida como a “Dama do Crime”, é uma das romancistas de maior sucesso no mundo inteiro. Com seus romances policiais intrigantes, repletos de personagens icônicos, linguagem acessível e tramas de nos tirar o fôlego, Christie conquistou e conquista com facilidade uma legião de fãs desde a sua primeira publicação.

Agatha só foi superada em vendas pela Bíblia e por Shakespeare e tornou-se um ícone enquanto contadora de histórias e mestra em entretenimento com seus enigmas que são aparentemente insolúveis, mas que, na verdade, desde as primeiras páginas já escondem pequenas pistas. 

No entanto, é difícil descrever os sentimentos que os leitores possuem ao longo de seus livros; é quase como um vício: você não consegue largar até descobrir se a sua teoria de quem é o assassino é verdade (e quase nunca é!). Não é à toa que leitores de todos os estilos são cativados pela genialidade de Christie.

Leia também >> Good Girls: Em um mundo que odeia mulheres, o crime compensa
Agatha Christie jovem.
Uma mini Agatha Christie. (Imagem: reprodução)

Seus livros são perfeitos para todos os momentos, desde a vontade apenas de ler um bom livro até a vontade de ler um livro que te salve da famosa ressaca literária. Inventiva, inteligente e, por incrível que pareça, simples, é muito difícil não se deixar conquistar por suas histórias.

E é nessa linha de pensamento que chegamos a um recente lançamento da Darkside Books, o Dicionário Agatha Christie de Venenos, escrito por Kathryn Harkup, química e fã da autora. O livro busca destrinchar alguns dos venenos utilizados por Agatha Christie ao longo de seus livros, desde o tão comum arsênico até menos conhecidos, como eserina ou ricina. 

O Dicionário Agatha Christie de Venenos

Dicionário Agatha Christie de Venenos, um lançamento da Darkside Books.
Dicionário Agatha Christie de Venenos, um lançamento da Darkside Books.

O livro traz 14 venenos relacionados com diversos livros da autora e em cada capítulo temos contato com um veneno e com a sua história, isto é, fala-se sobre como foi descoberto, como historicamente foi usado (inclusive trazendo histórias de famílias e figuras históricas ilustres, como a própria Cleópatra, relacionadas ao veneno), como a substância age para vir ao óbito de quem a utiliza, alguns casos reais e curiosos, entre outros.

O Dicionário Agatha Christie de Venenos é um prato cheio não apenas para quem já é fã do trabalho de Agatha e leu alguns de seus trabalhos, mas também para quem, assim como eu, está em um processo de conhecer mais a fundo sua obra, pois este pode servir como material de apoio e consulta à medida em que você vai conhecendo os livros mencionados.

Além disso, através dos 14 capítulos há uma apresentação que fala sobre a relação de Agatha com essas substâncias, o que é, para quem já é fã do trabalho da autora, a melhor parte do livro inteiro, pois assim podemos ter ainda mais contato com sua personalidade e sua história.

Leia também >> As mulheres fantabulosas de “Aves de Rapina” nos quadrinhos
Dicionário Agatha Christie de Venenos, da autora Kathryn Harkup.
Edição da Darkside Books que acompanha marcador e postal exclusivo. (Imagem: divulgação)

Ao final do livro há alguns conteúdos extras que podem servir de apoio, como uma tabela que correlaciona todos os livros de Agatha, em ordem cronológica de publicação, e quais foram os métodos de assassinatos ocorridos neles (cuidado com os spoilers!). Há também as estruturas químicas das substâncias citadas e uma bibliografia selecionada por Kathryn para caso o leitor se interesse em conhecer mais e mais sobre esse universo. 

Mesmo sendo um livro com muitos detalhes técnicos, sob uma pegada química e até mesmo farmacêutica, a autora se preocupa em trazer uma linguagem simples e que engaja os leitores. É difícil imaginar um livro não ficcional sobre venenos que seja divertido de ler, mas é – além de que o trabalho feito pela editora Darkside Books é primoroso, de brilhar os olhos; é feito com muito cuidado e atenção, um verdadeiro item de colecionador.

A Dama do Crime e seus venenos

Agatha Christie com seu uniforme de enfermeira.
Agatha Christie com seu uniforme de enfermeira. (Imagem: divulgação/Reddit)

Logo na introdução temos contato com um fato interessantíssimo e que instiga ainda mais o leitor a continuar a se aprofundar na obra de Christie: ela não coloca os venenos de forma aleatória ou leiga. Havia, na verdade, muito estudo por trás e também uma prática.

Na Primeira Guerra Mundial, Agatha foi enfermeira voluntária do hospital de sua cidade e logo após foi dispensária e auxiliar de farmácia. Por muitos anos, as receitas médicas eram preparadas à mão nas farmácias ou nos dispensatórios hospitalares, o que fez com que Christie tivesse contato direto com fórmulas e substâncias químicas. E além do trabalho direto que realizava dentro dos hospitais, ela era uma estudiosa árdua, participando de cursos e aulas particulares sobre o assunto.

Agatha Christie
Agatha Christie (Imagem: divulgação/Culturadoria)

O uso dos venenos para Agatha não era apenas um modo interessante para que seus personagens cometessem seus inúmeros assassinatos, mas uma forma de colocar uma de suas paixões à mostra. Muitos dos venenos que ela descreve em suas obras eram substâncias que ela, em algum momento, havia tido contato dentro de seu trabalho no dispensatório. Por vezes, seus personagens usavam venenos comuns, como cianuretos ou arsênicos, mas outras invariavelmente era necessário um conhecimento mais aprofundado e técnico sobre as substâncias – e que certamente ela detinha.

Leia também >> A leveza da realização pessoal em “Querida Konbini”

O uso desses venenos era feito de forma honesta, realista e na maioria das vezes preocupando-se em dar informações precisas sobre os venenos (com alguns poucos erros e ínfimos). Sobre isso, um caso que me chamou bastante atenção foi sobre O Cavalo Amarelo; dadas as poucas ocorrências de envenenamento com a substância tálio, Agatha efetivamente ajudou a salvar vidas ao trabalhar tão bem com ela em seu romance, possibilitando que pessoas leigas ou com menos conhecimento sobre o assunto pudessem encontrar os sintomas e agir contra eles. 

Poucos romancistas podem dizer que foram lidos por patologistas como material de referência em casos reais de envenenamento. Christie era primorosa em seu trabalho: cuidadosa e capacitada, foi muito elogiada sobre seus conhecimentos em diversas vezes. O Misterioso Caso de Styles, por exemplo, recebeu até uma resenha em uma revista médica e foi muito elogiado por sua precisão e a forma correta como Agatha usou a estricnina.

Leia também >> Príncipe Drácula: mulheres aliadas na captura de um assassino

Mas talvez o que seja mais interessante, ou pelo menos mais bonito e o que torne tão divertido e interessante de ler no livro, é o fato de que é perceptível o carinho e o empenho que Kathryn Harkup possui ao falar sobre a obra e a vida de Agatha Christie. Em cada parágrafo e a cada comentário percebe-se que Harkup mergulhou fundo nesse universo para proporcionar uma obra tão bonita para os fãs e interessados no trabalho de Christie.

Dicionário Agatha Christie de Venenos é um ótimo presente, seja para você mesmo, para um fã de Agatha ou para curiosos e entusiastas da obra dela. Fortemente recomendado!


Dicionário Agatha Christie de Venenos

Kathryn Harkup (Autora)

Camila Fernandes (Tradutora)

312 páginas

Darkside Books

Se interessou pelo livro? Compre aqui

O Delirium Nerd é integrante do programa de associados da Amazon. Comprando através do link acima, ganhamos uma pequena comissão e você ainda ajuda a manter o site no ar, além de ganhar nossa eterna gratidão por apoiar o nosso trabalho.


Edição e arte em destaque por Isabelle Simões. Revisão por Gabriela Prado.

Autora:

21 textos

Estudante de Direito, nordestina, pode falar sobre Studio Ghibli e feminismo por horas sem parar, amante de cinema e literatura (ainda mais se feito por mulheres), pesquisadora, acumuladora de livros e passa mais tempo criando listas inúteis do que gostaria.
Todos os textos
Follow Me :