O amor é sinônimo de esperança no novo álbum de Mitski

O amor é sinônimo de esperança no novo álbum de Mitski

Um novo lançamento da Mitski sempre é motivo para comemoração. A cantora expressou seu descontentamento com a fama e as pressões associadas a ela em diversos momentos, deixando em aberto seu retorno à carreira musical.

Após o lançamento de Laurel Hell em fevereiro de 2022, os fãs temiam que a cantora se afastasse dos palcos de vez. O álbum, melancólico e saudoso, foi interpretado como uma despedida da cantora à música, deixando a sensação de que, se algum material semelhante fosse produzido novamente, seria apenas após um longo e aguardado período.

Leia também >> A confortável solidão nas canções de Mitski

O retorno de Mitski no cenário musical 

Por isso, o anúncio do lançamento de The Land Is Inhospitable and So Are We (Tradução: A Terra é Inabitável e Nós Também Somos) foi uma surpresa mais do que agradável.

No final de julho deste ano, Mitski informou, por meio de um áudio enviado aos fãs, que o primeiro single seria disponibilizado ainda naquela semana.

Após alguns meses de espera e pequenos teasers, o sétimo álbum de estúdio da compositora foi oficialmente lançado no dia 15 de setembro.

Capa do novo álbum de Mitski, "The Land Is Inhospitable and So Are We".
Capa do álbum The Land Is Inhospitable and So Are We (2023)

A escolha estética do álbum suscitou algumas críticas em relação ao seu design. A fonte selecionada por Mitski é de difícil visualização, especialmente quando combinada com a cor laranja extremamente chamativa.

No entanto, essas observações se harmonizam perfeitamente com o conceito de inabitabilidade que permeia o projeto, e sua identidade visual se revela como um complemento essencial às músicas apresentadas.

Introdução à terra inabitável

Mitski por Ebru Yildiz (2023)
Mitski em photoshoot para promoção do álbum The Land Is Inhospitable and So Are We | Fotografia: Ebru Yildiz

Mitski é uma compositora reconhecida por abordar em suas músicas temas relacionados a sentimentos melancólicos e difíceis de traduzir. Seja na alegria ou na tristeza, a artista estabelece uma conexão com seu público, criando um ambiente familiar para a expressão das dores e vitórias da vida.

O amor é um tema recorrente em muitas de suas canções, seja explorando seus momentos destrutivos ou contemplativos. No caso de The Land Is Inhospitable and So Are We, Mitski vê o amor, antes de tudo, como algo precioso e infinito, como a promessa mais valiosa deixada após a morte de alguém.

O primeiro single do álbum foi Bug Like An Angel, lançado juntamente com seu videoclipe. Na música, a cantora explora subtextos bíblicos, companhados por uma personagem que enfrenta problemas de autossabotagem, vício em álcool e desafios em seus relacionamentos.

Leia também >> 6 músicas sobre a vida e suas mudanças por vozes femininas

Desde então, The Land Is Inhospitable and So Are We começou a revelar seus encantos ao público por meio de sua produção, incluindo a incorporação de um coral que complementa a voz de Mitski. Além disso, as letras profundas e cuidadosamente elaboradas, que já são uma marca da artista, fizeram-se presentes logo de cara e rapidamente viralizaram entre os fãs.

The wrath of the devil was also given him by God

(A fúria do demônio também foi dada a ele por Deus)

O amor como declínio e celebração em The Land Is Inhospitable and So Are We

As próximas canções disponibilizadas foram Heaven e Star, com composições que parecem se complementar e contrastar ao mesmo tempo.

A primeira música aborda a valorização do amor acima dos medos e inseguranças da vida. Nela, Mitski explora a imagem de um quarto onde, ao lado de seu amado, não precisam se preocupar com o mundo exterior, concentrando-se apenas no paraíso que construíram ali dentro.

All of our love

Filling all of our room

(Todo o nosso amor

Preenchendo todo o nosso quarto)

Mitski em photoshoot para promoção do novo álbum | Fotografia: Ebru Yildiz
Mitski | Fotografia: Ebru Yildiz

Por outro lado, Star narra um relacionamento que já chegou ao fim. Mitski compara o amor a uma estrela, que mesmo morta há muito tempo, ainda brilha sobre o casal. Agora, a celebração do amor presente em Heaven permanece, mas é tingida de nostalgia e distância.

Love is like a star

It’s gone, we just see it shining

(O amor é como uma estrela

Já se foi, mas ainda a vemos brilhar)

A solidão e a autossabotagem no caminho do amor

Além de Bug Like An Angel, outros momentos do álbum explicitam a autossabotagem e a baixa autoestima como inimigos na busca pelo amor, seja ele próprio ou externo. Mitski revela, repetidas vezes, sentimentos de culpa e insuficiência dentro das situações ilustradas.

Esse é o caso da música I Don’t Like My Mind, na qual a artista pontua sua dificuldade em lidar com sua própria mente, pois, uma vez deixada sozinha, ela consegue ser extremamente autodestrutiva. Por isso, a compositora elabora uma série de distrações que apenas causam mais memórias ruins para sua cabeça ruminar.

I don’t like my mind, I don’t like being left alone in a room

With all its opinions about the things that I’ve done

(Eu não gosto da minha mente, não gosta de ser deixada sozinha em um quarto

Com todas as suas opiniões sobre as coisas que fiz)

Leia também >> Girlfailure vs Girlboss: a tendência da imperfeição

Mitski em photoshoot para promoção de seu novo álbum (2023). Fotografia: Ebru Yildiz
Mitski promovendo o novo álbum The Land Is Inhospitable and So Are We | Fotografia: Ebru Yildiz

The Deal e When Memories Snow dão seguimento à narrativa de autoaversão e medo dos próprios pensamentos. Em ambas, a cantora busca formas de se livrar de sua ansiedade incessante, com opções incertas.

Na canção The Deal, considera se livrar da sua alma, presa em seu corpo como um pássaro em uma gaiola, para não sofrer mais com a realidade. Já em When Memories Snow, Mitski clama por um momento de descanso, para se permitir não pensar em todas as suas cobranças.

And if I break

Could I go on break?

(E se eu quebrar

Poderia tirar uma folga?)

A cantora se sente sozinha, acima de tudo. The Frost ilustra a solidão após um término doloroso, que faz Mitski enxergar a relação como objetos largados no ático de uma casa. Com seu fim, ela contempla aquele amor se enchendo de poeira, sem ninguém para compartilhar a emoção.

You’re my best friend

Now I’ve no one to tell

How I lost my best friend

(Você é meu melhor amigo

Agora não tenho ninguém para contar

Sobre como perdi meu melhor amigo)

Leia também >> Os melhores álbuns femininos do primeiro semestre de 2023

O ápice do novo álbum de Mitski

Finalmente, em I’m Your Man, o álbum tem seu ápice lírico dentro do tema da autodestruição. A narradora se compara com a pessoa amada, colocando-se como responsável por destruir seu relacionamento. Na música, a compositora reflete sobre como é difícil entendê-la e suportá-la. Além disso, afirma-se como uma figura pouco confiável para a construção de um amor saudável.

You believed me like a God

I betray you like a man

(Você acreditou em mim como se fosse Deus

Eu te traio como um homem)

A esperança como seu legado

Mitski promovendo seu novo álbum (2023) | Fotografia: Ebru Yildiz
Mitski em photoshoot para promoção de The Land Is Inhospitable and So Are We | Fotografia: Ebru Yildiz

Na canção Buffalo Replaced, a cantora nipo-estadunidense compreende a esperança como um fator intrínseco à sua existência. Em alguns momentos, ela imagina que a vida seria mais fácil sem esse sentimento. Porém, também percebe que só consegue seguir em frente por conta das expectativas que mantém sobre o futuro.

Sometimes I think it would be easier without her

But I know nothing can hurt me when I see her sleepin’ face

(Às vezes eu sinto que seria mais fácil sem ela

Mas nada consegue me machucar quando vejo seu rosto adormecido)

O novo álbum de Mitski se mostra uma grande ode à vida. O amor, mesmo envolvido no luto, é visto com admiração.

Amar é a melhor coisa que fiz na minha vida. Melhor do que qualquer música que já escrevi, melhor do que qualquer conquista, de longe“, Mitski traz como explicação para a música My Love Mine All Mine.

A composição é a que mais encantou os fãs e a que melhor centraliza a ideia geral de The Land Is Inhospitable and So Are We. O amor distribuído por Mitski é seu legado mais valioso e a única coisa que nunca conseguirão tirar dela.

Nothing in the world belongs to me

But my love, mine, all mine

(Nada nesse mundo pertence a mim

Mas meu amor, meu, todo meu)

Mitski encerra o novo álbum retomando sua “terra inabitável”. Em I Love Me After You, ela aprende a se amar novamente após um término difícil, com uma visão muito mais positiva do que em The Frost.

A pessoa amada comandava, anteriormente, o universo emocional da artista. Com o fim da relação, ela reconquista sua própria confiança e consegue novamente o controle sobre sua vida.

Leia também >> Loona: quando um fim é apenas um recomeço

É hora de explorar o terreno

Mitski em photoshoot para promoção do novo álbum The Land Is Inhospitable and So Are We | Fotografia: Ebru Yildiz
Mitski em photoshoot para promoção de The Land Is Inhospitable and So Are We | Fotografia: Ebru Yildiz

Mitski revela mais uma vez sua genialidade com um disco completo e apaixonante, que rapidamente conquistou um lugar no pódio dos fãs.

Ao mesmo tempo que mantém sua identidade artística por todo o projeto, sem instigar nenhum estranhamento aos ouvintes de longa data, ela traz inovações encantadoras para sua produção e lirismo.

Definitivamente, a compositora demonstra mais uma vez seu poder musical e poético, e dá razão às críticas tão apaixonadas que recebe de variados públicos.

O novo álbum de Mitski está disponível nos streamings Spotify, Apple Music, Deezer e Youtube.

Colagem em destaque: Sharline Freire para o Delirium Nerd

Escrito por:

12 Textos

Jornalista/comunicóloga, com amor por música, cinema, jogos e escrita.
Veja todos os textos
Follow Me :