[GAMES] Assassin’s Creed Odyssey: A jornada de uma misthios (contém spoilers)

[GAMES] Assassin’s Creed Odyssey: A jornada de uma misthios (contém spoilers)

Assassin’s Creed Odyssey foi lançado dia 05 de outubro deste ano, para as plataformas PS4, Xbox One e PC e a novelização do game foi lançada dia 30 de outubro, escrita por Gordon Doherty. Você pode conferir nossas impressões iniciais do game aqui. Depois de mais de 90 horas na pele de Kassandra, finalmente concluímos a história principal, então esse review contém spoilers.

Se você jogou AC Origins, já conhece Layla, a protagonista do arco moderno do game. Layla está procurando o bastão de Hermes Trismegisto – que aumenta a longevidade de quem o possuir – um artefato de origem Isu e, para isso, acessa as memórias de Kassandra para desvendar a localização do objeto. Já dentro do Animus, é revelado que Kassandra é uma descendente dos Isu, tanto pela linha materna quanto paterna. A jornada de Kassandra é dividida em três frentes: a busca por sua família; derrotar o Culto do Cosmos e selar Atlântida, uma biblioteca deixada pelos Isu.

Um defeito do game é em relação ao final da história principal: como cada arco é independente, é possível chegar ao final do arco moderno antes de terminar o resto da odisseia de Kassandra. No fim deste arco, Layla encontra Kassandra, que manteve o bastão em sua posse desde a Grécia Antiga, protegendo-o de organizações com fins maléficos. Kassandra acaba morrendo ao entregar o bastão à Layla, e acreditamos que esse final poderia ter sido mais desenvolvido, pois imediatamente, após a morte de Kassandra, Layla volta ao Animus, sem muita interação entre as duas personagens. No entanto, ao estabelecer que Kassandra esteve viva desde seu nascimento em Esparta, isso possibilita que ela apareça em outros games da franquia, seja como protagonista novamente ou auxiliando outros personagens.

Assassin’s Creed Odyssey

Leia também:
>> [GAMES] Beyond Two Souls: para além do sobrenatural, uma história sobre alguém que apenas queria ser “normal”
>> [GAMES] Hellblade – Senua’s Sacrifice: uma experiência única e envolvente
>> [GAMES] Celeste: uma jornada para conhecer e superar a si mesma

Voltando para sua odisseia pessoal, Kassandra precisou estabelecer alianças para descobrir o paradeiro de sua mãe Myrrine, e explorar as ilhas gregas em busca de pistas sobre a identidade dos cultistas. O Culto do Cosmos é uma organização parecida com a Ordem dos Anciões em AC Origins, inclusive com o mesmo objetivo de encontrar artefatos Isu e controlar o mundo pelos bastidores. O objetivo final da caça aos cultistas é encontrar o Fantasma do Cosmos, a pessoa responsável por liderar o culto e estabelecer as ações do grupo.

Aqui fazemos outra crítica ao jogo: após determinada pista sobre a identidade do Fantasma, o game informa que, na verdade, trata-se de uma mulher e considerando que a história principal tem poucas personagens femininas e recorrentes, fica bem fácil descobrir a identidade da Fantasma, tirando qualquer suspense sobre a revelação dela no final. Embora seja interessante que Aspasia tenha se tornado a líder de uma sociedade secreta com influência em todo o mundo grego, se Assassin’s Creed Odyssey tivesse apresentado outras mulheres durante a trama principal, o suspense sobre a identidade da Fantasma teria sido mantido.

Assassin’s Creed Odyssey

Embora a história principal tenha escassez de personagens femininas de destaque, isso não se aplica às missões secundárias. É possível conhecer uma rainha pirata, a líder de uma rebelião, uma jovem guerreira em busca de glória por sua família, as filhas de Artêmis e sua líder, sacerdotisas, além de várias mercenárias e até Medusa, embora não seja exatamente a mesma das lendas gregas.

Assassin’s Creed Odyssey

Fonte: Artstation 

Algo que merece ser elogiado é a escolha em fazer Kassandra uma personagem fisicamente forte e imponente, pouco visto na mídia quando se trata de personagens femininas “fortes”. Kassandra é muito confiante como uma misthios, seja nas interações normais ou nos romances, mas não deixa de ser humana e demonstrar compaixão em outras situações. Além disso, a Grécia de Odyssey é etnicamente diversa, contando com mulheres negras em destaque, tanto na história principal quanto nas opções de romance para a protagonista, saindo do festival de personagens brancas que infelizmente estamos acostumadas.

Xenia é a rainha pirata que auxilia Kassandra a descobrir o paradeiro de sua mãe. Roxana é uma guerreira, cuja família participou várias vezes de um torneio de combate sem nunca ganhar, e agora cabe a ela tentar conquistar a honra para a família. Kyra é a líder da rebelião contra Atenas, que força outras cidades-estado a serem seus aliados na guerra contra Esparta. Daphnae é a líder das Filhas de Artêmis, mulheres que idolatram a deusa da caça e vivem isoladas da civilização, e que acaba se envolvendo com Kassandra, apesar de seu voto de celibato. Todas são personagens bem desenvolvidas e importantes para a jornada da protagonista.

Assassin’s Creed Odyssey

Vale também destacar que nenhuma opção de romance é bloqueada, diferentemente de outros games do mesmo gênero, e em nenhum momento o fato de Kassandra flertar com mulheres é questionado, além de existirem outros relacionamentos entre mulheres no mundo do jogo.

Quanto à jogabilidade, mantemos nossa opinião de que apesar do combate do jogo ser muito bom, gostaríamos de outras formas de interação não-violentas com o mundo. Até encontramos missões em que outras resoluções eram possíveis, mas a grande maioria das missões envolvia violência.

Outro aspecto que deixou a desejar em relação a outros RPGs é a ausência de histórias no mundo. Enquanto que em AC Origins era possível encontrar cartas, bilhetes, livros e escrituras em tumbas, enriquecendo e acrescentado vida ao mundo criado, Odyssey não apresenta isso, diminuindo o interesse em explorar o resto do mapa. Isso não quer dizer que seja pobre em detalhes, já que é possível visitar localidades histórias e cada uma delas tem uma explicação que pode ser lida pelo mapa.

Apesar das críticas feitas, Assassin’s Creed Odyssey é um jogo maravilhoso e muito envolvente, sendo capaz de prender sua atenção por muitas horas, mesmo depois de já ter concluído a história principal. A experiência de explorar a Grécia na pele de uma mercenária é muito bem vinda e faz com que fiquemos ansiosas por outros games da franquia com Kassandra como protagonista.

O jogo está disponível para compra na Amazon.

Escrito por:

20 Textos

Já era interessada em ficção científica desde criança, tem um relacionamento recheado de idas e vindas com The Sims e é capaz de falar horas sobre Mass Effect. Quando não está ganhando mais troféus na PSN, pode ser encontrada com seu Kindle na mão.
Todos os textos
Follow Me :