5ª temporada de “This is Us” é uma carta de reconforto aos corações do público

5ª temporada de “This is Us” é uma carta de reconforto aos corações do público

O caos do ano de 2021, que ainda traz consigo muitas das dores de 2020, foi o contexto no qual This is Us deu a luz à sua penúltima temporada. Conhecida por sua narrativa sentimental, emocionante e muitas vezes trágica, a série conquistou fãs que já se acostumaram a assistir aos episódios com uma caixinha de lenços por perto. 

No entanto, a 5ª temporada de This is Us abraçou a difícil missão de entregar uma história conectada com os eventos da realidade. Além de enfrentarem a pandemia do coronavírus diretamente, os personagens ainda foram impactados por acontecimentos como o assassinato de George Floyd, crime racista que incitou muitos protestos ao redor do mundo. 

Randall (Sterling K. Brown) na quinta temporada
Randall (Sterling K. Brown) | Imagem: NBC

Na verdade, diversas discussões sobre racismo foram aprofundadas ao longo da temporada. Muitas questões pendentes a respeito da relação entre Randall (Sterling K. Brown) e sua família foram retomadas com grande maturidade, abordando com responsabilidade temas relacionados à vivência de Randall como um menino negro crescendo em uma família de brancos. 

Além de ter sido uma temporada surpreendente, a série foi muito corajosa e direta não apenas com as questões sociais que abordou, mas com as revelações e mudanças de rota no destino dos personagens.

AVISO: spoilers a seguir

This is Us: entre surpresas e histórias 

A primeira grande revelação da quinta temporada foi a personagem Laurel (Jennifer C. Homes), mãe biológica de Randall. Logo nos primeiros episódios, Randall descobre que ela sobreviveu à overdose que supostamente a havia matado. Embora tenha dividido opiniões entre os fãs, a história de Laurel foi um dos pontos altos da temporada.

Laurel ganha um episódio somente seu, que aprofunda sua trajetória, seus sentimentos e angústias. E é essa escolha de se aventurar em vidas diferentes, saindo um pouco da rota dos protagonistas, que torna This is Us uma série tão especial. Tudo sobre a jornada da família Pearson, que se interliga com as histórias de outras pessoas, de outras famílias, é também sobre a própria vida em si. 

Não existem protagonistas ou tramas de menor importância na vida real, há algo de sensível e especial em todas as histórias e é justamente esse sentimento que This is Us passa. Essa estrutura poderia continuar por anos e anos, passando para outras gerações de personagens que se interligam com a trama dos Pearson. This is Us está absolutamente conectada com a continuidade das histórias através do amor, e a relação entre Laurel e Randall mostra isso. 

Leia também >> A importância da representatividade de “This is Us”
Laurel (Jennifer C. Homes) na quinta temporada de This is Us
Laurel (Jennifer C. Homes) em This is Us | reprodução

Embora a fórmula de This is Us pareça algo que poderia continuar eternamente, o medo da repetição talvez seja um dos motivos que levou à decisão de fazer da quinta temporada a penúltima. Os caminhos traçados nesta temporada parecem apontar para um final tranquilo que vem na hora certa. 

Um desses caminhos é a grande surpresa do último episódio, o divórcio de Kate (Chrissy Metz) e Toby (Chris Sullivan), que vinha se insinuando com alarmes falsos há algum tempo. Discussões, inseguranças e dilemas entre os casais da série são comuns e, embora o motivo da separação entre os dois personagens não seja revelado de forma explícita, existem detalhes na relação de Kate e Toby que permitem especulações.

O principal tópico que acompanhou os personagens durante a temporada foi a chegada de um novo bebê e a forma como Toby reagiu aos dilemas de ser pai e estar desempregado. Ao longo dos episódios, paira uma sensação desconfortável de que Kate não tem muita opção a não ser ficar em casa e cuidar das crianças, mesmo que ela se interesse por seu novo emprego. No entanto, This is Us sempre apresenta muitas reviravoltas e nem tudo pode ser exatamente o que parece. Para a última temporada restou a missão de explicar essa separação entre um casal que o público tem acompanhado desde o começo da série.

Leia também >> Mare of Easttown: crime, mulheres sobrecarregadas e saúde mental
Kevin (Justin Hartley) e Madison (Caitlin Thompson) em This is Us
Kevin (Justin Hartley) e Madison (Caitlin Thompson) em This is Us | reprodução

Se o divórcio entre Toby e Kate e o novo casamento da personagem foram uma revelação inesperada no final do episódio, o término agridoce do conto de fadas de Kevin (Justin Hartley) e Madison (Caitlin Thompson) não foi nem um pouco surpreendente. O romance entre os personagens começa de forma um tanto abrupta, quando ambos começam a confundir um carinho pela família que começaram a construir com amor romântico. 

Embora Kevin e Madison tenham uma dinâmica que funciona melhor em tela do que as relações anteriores do personagem com outros interesses românticos, o final triste mas correto foi um alívio para quem temia um grande conflito. O noivado dos dois parece mais uma escada para desenvolver Madison um pouco melhor, já que a personagem foi lentamente conquistando espaço dentro da série.

5ª temporada: uma trajetória mais calma 

Famosa por suas tragédias e dilemas emocionais intensos, talvez a maior surpresa de This is Us tenha sido apostar em uma temporada mais leve. A imensa maioria dos dramas servem muito mais como desenvolvimento dos personagens, enquanto as histórias se desenrolam de forma emocionante, mas sem muitas perdas trágicas de arrancar lágrimas sofridas do coração do público.

Na verdade, o impacto da quinta temporada de This is Us está muito mais na conexão que a série traça com o emocional do espectador. Antes de cativar através das histórias dos personagens, a série sensibiliza pelo diálogo direto com a realidade que o público está encarando. A melancolia e a solidão por conta da pandemia se tornaram parte de muitas rotinas ao redor do mundo, e esses sentimentos são constantes também na vida dos personagens. 

cena da quinta temporada de This is Us
Madison (Caitlin Thompson) em This is Us | reprodução

Neste prisma, dois episódios se destacam; In the Room (S05xE08) e One Small Step (S05xE11). O primeiro deles faz uma homenagem a Nasir Ahmed, que liderou um time de pesquisadores responsáveis pelo desenvolvimento da Transformada Discreta de Cosseno, técnica que revolucionou as tecnologias de compartilhamento de vídeo e imagem.

Leia também >> A 13ª doutora e a gentileza como sabedoria em “Doctor Who”

A série tem a delicadeza de contar um pouco da história de Nasir e de sua família, homenageando seu trabalho que permitiu que relações sejam fortalecidas através da tecnologia até hoje. This is Us acompanha o espectador nas dores do ano que passou, mas também celebra as uniões que foram perpetradas pelos diferentes meios que ajudaram a manter as conexões, mesmo a distância.

Rebecca (Mandy Moore) e Miguel (Jon Huertas) em This is Us
Rebecca (Mandy Moore) e Miguel (Jon Huertas) em This is Us | reprodução

O episódio In the Room conversa com todos aqueles que tiveram momentos importantes de suas vidas impactados pela pandemia. Enquanto ressalta a beleza na presença virtual que tantas pessoas marcaram na vida daqueles que amavam, paralelamente, a série também entra nos lares, salas, quartos dos espectadores através da mesma tecnologia que homenageia. 

Mesmo ciente dos grandes acontecimentos do presente, a série não ignora a contínua presença da solidão tão característica dos dias atuais. O episódio One Small Step foca na vida solitária de Nick (Griffin Dunne) ao longo dos anos em que ficou afastado de sua família. O episódio fala sobre a dificuldade em se aproximar e se conectar com outras pessoas, mas lembra que nunca é tarde demais para tentar.

Leia também >> “Everything’s Gonna Be Okay” é a comédia familiar perfeita para os tempos atuais

Ao mesmo tempo em que mostra a solidão de Nick ao longo dos anos, o episódio dialoga com um mundo solitário, há tanto tempo privado de abraços, aglomerações, viagens e visitas. This is Us emociona o público por fazê-lo pensar, diretamente, em suas próprias histórias. 

Madison (Caitlin Thompson) e Kate (Chrissy Metz) na quinta temporada da série
Madison (Caitlin Thompson) e Kate (Chrissy Metz) na quinta temporada | reprodução

As angústias dos personagens se mesclam com as dos espectadores, enquanto a série reforça ainda mais seu caráter familiar. Há um aconchego nas histórias dos Pearson. Mais do que personagens queridos, eles são um reflexo e um reconforto diante de uma realidade fria e incerta. E esse abraço, mesmo que a distância, não se faz através de um distanciamento para com o mundo real, mas de uma conversa franca com a atualidade. 

A quinta temporada de This is Us trouxe uma certa pausa com o silêncio que antecede a mudança, mas mais do que pavimentar o caminho para o final da série, ela ofereceu um reconforto que tanto os personagens quanto o público precisavam. 

Leia também >> Quase Famosos: como personagens cativantes mascaram más representações femininas

This is Us se faz atual não apenas por abordar temas relevantes, mas por ser corajosamente sentimental. A quinta temporada da série entrega, através das histórias que narra, uma carta de amor e esperança a todas as pessoas solitárias, que pensam que a vida as passou para trás, e encoraja todos a não desistirem sem tentar. 

Escrito por:

26 Textos

Estudante do curso de Jornalismo. Gosta muito de cinema, literatura e fotografia. Embora ame escrever, é péssima com informações biográficas.
Todos os textos
Follow Me :