Todas as Flores: há limites para uma protagonista com deficiência?

Todas as Flores: há limites para uma protagonista com deficiência?

Desde que começou a ir ao ar, em 19 de outubro de 2022, a novela Todas as Flores vem colecionando elogios da crítica e do público. Escrita por João Emanuel Carneiro, a obra é a segunda produção do gênero para streaming lançada pela Globoplay.

E ao contrário de sua predecessora, a duramente criticada Verdades Secretas 2, Todas as Flores tem sido louvada pela trama intrigante, pelas interpretações de grande parte do elenco, pela dupla de vilãs encantadoramente detestáveis e por ter uma mocinha capaz de produzir sentimentos além de ranço no público – feito raro para uma novela. Porém, algumas revelações do fim da primeira fase dividiram os espectadores. E a principal delas tem a ver justamente com a protagonista, Maíra (Sophie Charlotte).

Lançada no Globoplay em blocos de cinco capítulos por semana, Todas as Flores entrou em hiato no dia 18 de dezembro. Embora todos os episódios da trama continuem disponíveis na plataforma, o resto da novela só começará a ser liberado no dia 5 de abril, após o término do Big Brother Brasil 23. Como era de se esperar para uma pausa tão grande – praticamente uma quebra entre duas temporadas de uma série -, o capítulo 45 de Todas as Flores foi marcado por uma reviravolta.

Leia também >> As melhores séries ou temporadas de 2022

Após ser maltratada, enganada e humilhada diversas vezes pela mãe e a irmã, Maíra decidiu dar a volta por cima e se vingar de Zoé (Regina Casé) e Vanessa (Letícia Colin). Com a ajuda de Pablo (Caio Castro), ela roubou o dinheiro de Zoé e anunciou que pretendia usá-lo para pagar por uma cirurgia que mudaria totalmente a sua vida. Cega de nascença, Maíra terminou a primeira fase de Todas as Flores se recuperando de um procedimento que deu fim à sua deficiência visual.

Zoé (Regina Casé) com as filhas, Maíra (Sophie Charlotte) e Vanessa (Letícia Colin) em Todas as Flores
Zoé (Regina Casé) com as filhas, Maíra (Sophie Charlotte) e Vanessa (Letícia Colin) | Imagem: Reprodução

Foi um plot twist e tanto, que nem todo mundo que assiste à novela recebeu de braços abertos. Para alguns, a reviravolta seguiu a linha do que Carneiro já fez em outras novelas bem sucedidas de sua autoria, como A Favorita (2008) e Avenida Brasil (2012). Já para outros, a aparição súbita de uma cirurgia que nenhum personagem havia mencionado antes foi um pouco conveniente demais, incompatível até mesmo com a lógica interna de uma novela em que irmãs nada parecidas se disfarçam uma da outra para aplicar golpes.

Mas independentemente de ser boa ou ruim de um ponto de vista narrativo, a reviravolta da cirurgia levanta questões a respeito de Maíra. A transformação acontece justamente no ponto em que a mocinha deixa de ser vítima para começar sua vingança contra Zoé e Vanessa. Em uma novela tão focada na promoção de pessoas com deficiência visual como seres humanos plenos e capazes, essa é uma decisão estranha que deixa no ar uma pergunta: há limites para uma protagonista com deficiência?

Quem é Maíra em Todas as Flores

No primeiro capítulo de Todas as Flores, somos apresentados a Maíra, uma aspirante a perfumista que vive no interior de Minas. Criada pelo pai, Rivaldo (Chico Diaz), Maíra não tem contato nem com a mãe nem com a irmã desde que era muito pequena. Até que um dia, Zoé a procura para pedir que ela doe medula para Vanessa, que sofre de leucemia.

Publicidade

O que Maíra não sabe é que sua mãe é uma pessoa horrível, e sua irmã não fica muito atrás. Logo nos primeiros minutos da trama, Zoé mata Rivaldo. Já Vanessa faz questão de esconder a existência da irmã perdida de tudo e todos, mesmo após a doação de medula. Isso não impede que Maíra conheça e se apaixone por Rafael (Humberto Carrão), noivo de Vanessa e herdeiro da empresa na qual as duas irmãs trabalham.

Cena de Todas as Flores
Maíra com Zoé e o pequeno Rivaldinho | Imagem: Divulgação

A partir daí se desenrola uma trama de romance, vingança, traição e ódio típica de um bom novelão – e tudo isso sem falar nos núcleos paralelos da trama. Aos poucos, Maíra descobre que sua mãe não é apenas uma picareta, mas que também tem envolvimento com uma quadrilha de exploração e tráfico de pessoas.

Mas quanto mais Maíra descobre sobre a mãe e a irmã, pior fica a sua situação. Enquanto Vanessa arma para separá-la de Rafael e chega ao ponto de mandá-la para uma fazenda de trabalho escravo, Zoé faz de tudo para separá-la do filho, Rivaldinho, movida por um sentimento torto de amor materno. A primeira fase da trama termina com a protagonista na casa da madrinha, Judite (Mariana Nunes), tentando se recuperar de tudo que sofreu.

Leia também >> A importância da representatividade de “This is Us”

Contudo, Maíra não é uma protagonista burra. É uma mulher boa, mas não ao ponto de ser otária. Deixa-se enganar de vez em quando, mas percebe quando os outros não são mais confiáveis e guarda rancor. Ao que tudo indica, a segunda fase da novela será dedicada a uma trama de vingança de Maíra contra Zoé e Vanessa. Trama essa, aliás, que já começou com Maíra se disfarçando de Vanessa para roubar o dinheiro de Zoé e colocando mãe contra filha.

Personagens com deficiência no centro da trama (mas nem tanto)

Maíra está longe de ser a única protagonista de novela inteligente do mundo. Porém, quem tem o hábito de assistir a novelas sabe o quanto é difícil para os autores não fazer uma mocinha com o coração tão puro que dê raiva nos espectadores. Da mesma forma, Maíra também não é a única personagem de destaque com deficiência na história das telenovelas. Contudo, chama atenção o quão pouco sua história é voltada para o marketing social.

Marketing social é como costuma ser chamada a estratégia de associar uma determinada marca a uma causa importante. Pense, por exemplo, na forma como a Natura tenta se colar à pauta da preservação do meio ambiente. No caso de uma telenovela, o marketing social vem na forma de cenas inteiras dedicadas ao debate de temas de importância social, como o alcoolismo, a exploração sexual de crianças ou a aceitação de pessoas com deficiência. O problema é que esses debates costumam aparecer nas novelas de forma maniqueísta e professoral, e, às vezes, o que deveria ser um serviço para o público, acaba sendo um baita desserviço.

Leia também >> Margarita com Canudinho: a representação de um somatório de opressões
Cena de Todas as Flores
Maíra com Rafael (Humberto Carrão) | Imagem: Reprodução

No caso de personagens com deficiência, podemos comparar Maíra com dois exemplos relativamente recentes. O primeiro é a personagem Luciana (Alinne Moraes) em Viver a Vida, novela de Manoel Carlos de 2009. Após se tornar tetraplégica, Luciana passou de vilãzinha à protagonista da trama. Entretanto, embora tivesse uma história e até um romance próprios, grande parte das cenas de Luciana na trama eram voltadas para educar o público sobre o preconceito que sofrem as pessoas com deficiência. A novela contava até mesmo com depoimentos de convidados com deficiências parecidas com a de Luciana ao fim de alguns capítulos, e a personagem chegou a ter um diário online no qual detalhava suas dificuldades.

Publicidade

Outro exemplo é a novela América, de Glória Perez, que também trouxe personagens com deficiência visual. Lançada em 2005, a novela trazia uma então pequena Bruna Marquezine como Flô, uma menina cega que começa a ganhar independência após fazer amizade com Jatobá (Marcos Frota), um homem que perdeu a visão depois de adulto. As cenas dos personagens eram praticamente todas voltadas para reivindicar direitos e lembrar o público que pessoas cegas também são capazes de viver de forma independente.

Leia também >> Novela e ficção científica: entre clones e mutantes

Já no caso de Maíra, o fato da personagem não enxergar não é o principal. A deficiência visual de Maíra importa, é claro, e faz parte da forma como a personagem existe na trama: é devido a cegueira de Maíra que ela se aproxima de Rafael, que perdeu a visão temporariamente na infância; devido a cegueira de Maíra que Zoé a rejeitou quando ela nasceu; devido sua cegueira – entre outras coisas – que Vanessa não aceita perder o noivo para ela. Tudo isso, porém, é bem diferente de ter uma personagem cujas ações na trama são todas voltadas para conscientizar o público. Maíra tem uma vida ampla, da qual a deficiência é apenas uma pequena parte.

Cena de Todas as Flores
Camila Alves como a perfumista Gabriela | Imagem: Divulgação

O mesmo pode ser dito dos outros personagens com deficiência visual da trama. Na Rhodes, empresa da família de Rafael, há todo um núcleo de perfumistas cegos ou com baixa visão vivendo suas próprias histórias. Os personagens também são todos interpretados por atores com deficiência. Fafá (Moira Braga) é uma mulher conquistadora, que não perde uma oportunidade de passar o rodo. Já Gabriela (Camila Alves) é defensora do poliamor e vive um drama com Márcio (Cleber Tolini), que prefere um relacionamento monogâmico.

Leia também >> The L Word Generation Q: primeiras impressões da terceira temporada e a memória da segunda

Considerando a frequência com a qual pessoas com deficiência são reduzidas às suas limitações e tratadas como seres assexuados, é um alívio ver personagens deficientes vivendo ao máximo suas vidas amorosas e sexuais. E, embora volta e meia haja espaço para uma mãozinha na consciência, é mesmo no romance e na pegação que é centrado o núcleo dos perfumistas da Rhodes.

Entretanto, chama atenção o quão pouco conectados à trama central da novela estão os perfumistas. Suas histórias se desenrolam totalmente em paralelo às de Maíra, Rafael, Vanessa, Zoé e até mesmo personagens de outros núcleos menores. Há pouco ou nenhum diálogo entre eles e a história central. Nesse sentido, Maíra é essencial por ser a única personagem com deficiência envolvida com os acontecimentos principais da novela. Devolver-lhe a visão é relegar os personagens com deficiência a um lugar menor na trama.

Dá para ter uma deficiência e não ser vítima em uma telenovela?

Mais do que isso, devolver a visão à Maíra incomoda pelo momento da trama em que essa reviravolta acontece. Durante toda a primeira fase da novela, Maíra foi vitimizada pela mãe e a irmã. De pequenas humilhações, como ser levada para jantar com Rafael e Vanessa, até uma temporada na fazenda da “obra social” de Zoé, não há nada que ela não tenha sofrido. Sua virada de chave era um momento esperado, principalmente considerando que Todas as Flores é uma novela de João Emanuel Carneiro, um grande amante de tramas de vingança.

Letícia Colin e Sophie Charlotte
Vanessa tenta matar Maíra | Imagem: Reprodução

Mas para que essa virada de chave aconteça, a personagem precise recuperar a visão é algo que deixa um gostinho amargo na boca. Até agora, Todas as Flores se esforçou para mostrar que não é a deficiência que torna Maíra uma vítima, mas a crueldade de Zoé e Vanessa. Sendo assim, por que é que Maíra precisa passar a enxergar para deixar de ser vítima? É um plot twist que enfraquece a mensagem da trama até aqui.

Outra possibilidade é que João Emanuel Carneiro tenha usado a deficiência de Maíra como uma metáfora: a personagem passa a enxergar porque agora, sim, ela vê realmente quem são Vanessa e Zoé. Isso, na verdade, não melhora em nada a situação. Além de ser uma metáfora de mau gosto, não muda o fato de que a cirurgia de Maíra é tratada como essencial para o fortalecimento da personagem.

Leia também >> Família Addams e sua lição mais importante: não se desculpar por ser quem é

Não dá para saber ainda como Todas as Flores vai lidar com o fato de Maíra voltar a enxergar. Segundo o Notícias da TV, a cirurgia terá uma recuperação delicada, e Maíra frisará que só fez isso para conseguir recuperar o filho com mais facilidade. Tirando o fato do tratamento ter vindo do nada, parece algo que terá uma certa coerência dentro da trama. Para quem vê de fora, porém, a mensagem se perde. O que parece é que alguém não entendeu todo aquele papo de pessoas com deficiência também serem capazes.

Escrito por:

27 textos

Tradutora, jornalista, escritora e doutoranda em Linguística, na área de Análise do Discurso. Gosta de cinema, de ficção científica, de cinema de ficção científica e de batata. Queria escrever quando crescesse e, agora que cresceu, continua querendo.
Veja todos os textos
Follow Me :
error: Os artigos do Delirium Nerd estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Plágio é crime. A utilização não autorizada deste artigo pode resultar em processo.